CAFÉ EXPRESSO

Dezembro 26 2007

 

 

 

 

O que pode acontecer a quem puser o pé sobre uma lagartixa? Pode sujar a sola do sapato. O que pode suceder a quem pisar um jacaré? E se eu fosse uma lagartixa. E se eu fosse um jacaré. Ninguém pisa um jacaré. Pelo menos, propositadamente. As cobras egípcias são lindas. Um tanto inexplicavelmente, existem algumas no deserto do Sahara . Para caçar, estas cobras enterram-se na areia. Quem estiver a passear no deserto pode sempre, por azar, pisar uma cobra egípcia . Como se sabe, o seu veneno é mortal. Quem estiver a passear pelo Sahara , pode sempre pisar, sem querer, um animal de baixo porte - um animalzinho. Neste caso, em princípio, não há azar. Pergunto-me se, no Lisboa-Dakar " os atropelamentos de elementos pertencentes à fauna do deserto são vulgares. O que nem sequer vem ao caso. Lembrei-me, apenas.

 

Portanto, ninguém quer ser uma lagartixa. Quer dizer, quem não quer ser lagartixa, não lhe veste a pele. Passe o cliché . Com efeito, não faz muito sentido acalentar mágoas e ressentimentos pelo mal que nos fizeram. E, na verdade, a condição dos animais  rastejantes não vem ao caso porque também não vale a pena arrancar pernas às pessoas ou dar-lhe dentadas mortais. Quer dizer, também ninguém quer ser  um jacaré. É ridículo. As pessoas são distraídas e põem os pés em cima de tudo o que está ao seu alcance por baixo. Não é por mal. Também não é por bem. Por os pés em cima é pisar. As pessoas precisam de pisar para caminhar. E "o caminho faz-se caminhando" - título do programa de Mário Soares no Canal 1. Se falei em animais é  porque nós, os humanos, também somos assim seres muito naturais. Ser natural é ser de acordo com a natureza. Também não acredito muito que os animais não pensem. E viver numa cidade não é fácil para ninguém.

 

As pessoas não são perfeitas. Porém, há muitas coisas perfeitas no planeta, a começar pelo próprio planeta em si. As pessoas são perfeitamente capazes de fazer coisas perfeitas. Não sou perfeccionista, mas acredito em contextos emocionais perfeitos. Os gestos certeiros, os olhares indicados, as palavras certas, as acções adequadas a cada vivência. No fundo acredito nas emoções verdadeiras. E só aceito estas. Mais nada. Por insegurança, tornei-me naturalmente especialista em detectar falhas nos contextos. Sou, por consequência, especializada na implosão de situações estáveis que vacilam. Naquilo que me importa, só me importa o tudo ou o nada. Já ganhei muito, apesar de tudo o que se encontra perdido, e me dói. Apesar da dor, o meu balanço é positivo . Reconheço que não é fácil para ninguém estar comigo. Não é justo que outros tenham que suportar as consequências das minhas escolhas. Mesmo que estas escolhas tenham a ver com o modo como eu escolhi viver a minha vida. Mesmo que não sejam verdadeiramente escolhas. Momentos houve em que fingi que era uma lagartixa. Noutras ocasiões, fui um jacaré muito distraído, e, por isso, não decepei ninguém quando podia. Em alguns momentos mordi por estar muito irritada, como as cobras saciadas. Isso foi porque pensaram que eu era uma lagartixa, e eu só estava a fingir. Não se pode, por azar, pisar uma cobra do deserto. De qualquer modo, apressei-me a ir buscar o antídoto . O meu objectivo não é fazer mal a ninguém. Deixem-me estar. E apenas não mintam, que eu sou muito insegura.

 

publicado por Cat2007 às 18:19
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

Lagartixa, não! Arruma outro bicho pra fazer analogia!
Que coisa! Venho aqui de boa vontade ler o que minha amiga escreveu e BOOM! Deparo-me com esses dinossauros minusculos, esquecidos pelo cataclisma que levou seus irmãos maiores À um mundo livre dessas nojentas! E pros ecochatos, que insistem que elas são necessarias à não proliferação dos mosquitos, uma palavra mágica: inseticida.
Quanto ao resto do seu texto, creio que deveríamos falar in private. Beijos.
Lee a 27 de Dezembro de 2007 às 16:47

Por acaso também tenho nojo de lagartixas e de todos os répteis em geral. Sei lá porque fui eu estabelecer estes paralelismos com elas. Talvez por serem nojentas e esmagáveis.
Também quero falar em private. Podíamos combinar para sábado. Mando torpedo.
Cat2007 a 27 de Dezembro de 2007 às 21:01

Não to conseguindo te mandar torpedo. :(
Lee a 28 de Dezembro de 2007 às 18:31

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
há "sinais" que não devemos negar :D
Se o tédio estiver instalado numa relação, então é...
o tédio pode estar na própria relação... ou não?
No entanto, de facto, não associei. Ninguém é infi...
achei graça foi associares a tua infidelidade ao t...
Já tinha saudades de ler o seu blogue.
Ok. Obrigada, querida.
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

17
18
19
20
21
22

24
25
27
28

30


blogs SAPO