CAFÉ EXPRESSO

Abril 19 2008

 

 

Claro que tudo o que eu vou dizer indicia uma feminista a falar. Mas não sou. Como todas as mulheres, sou machista. Sou assim porque tenho culpa. Não a assumo, mas ela tomou-me o ser, e comanda-me as razões e as emoções. Tudo o resto é uma luta. No mais, não sei porque gosto de ser mulher, embora vá gostando. Esta espécie de culpa abstracta de carácter religioso é um aconchego. Tudo o que sirva para nos inferiorizar também nos desresponsabiliza. Não se pede a quem não é capaz. É assim, em regra.

 

 

Perante a vontade de Deus, há que baixar a cabeça sem solenidade, com o certo sentido da humilhação. Encostar os lábios ao chão, e comer o pó. Perante a vontade dos homens (e das mulheres, bem entendido) que nos vêm falar da vontade de Deus, o pó colar-se-á nos nossos lábios húmidos de saliva e de lágrimas de arrependimento. Porque a nossa boca está no chão, engoliremos o pó colado nos nossos lábios. Comeremos assim o pó.  No fundo, comemos o homem. Porque, é preciso recordar, o homem (não a mulher) do pó veio e ao pó voltará.

 

Com efeito. E passo a citar, sob pena de não ser acreditada por dizer incredulidades: "A seguir (Deus - logo após a condenação da mulher  ao que sabemos) disse ao homem (ao homem, homem, macho, não ao Homem no sentido de ser humano. É que este conceito inapropriado inclui, penso eu, a mulher): Comerás o pão com o suor do teu rosto, até que voltes à terra de onde foste tirado; porque tu és pó e ao pó voltarás".  

 

Portanto quem comer o pó, seja, homem ou mulher, comerá, por assim dizer, o homem. Já num sentido mais actual dos termos, quem injectar o pó por algum tempo, será um junkie mais tarde. E há quem pense que é melhor ser drogado do que paneleiro.  Pelo menos, eu já ouvi dizer isto. Quanto a ser preferível ser drogada a lébica, nunca ouvi dizer nada neste sentido. Mas isso é porque, como sabemos, as mulheres não contam. Pouco importa se injectam pó ou comem mulheres. De qualquer modo, mesmo que comam mulheres, não comem pó, comem, talvez....costelas... de homem. Uma sensaboria!

 

Já se sabe: a mulher é um produto de uma costela do homem: "O Senhor Deus disse: Não é conveniente que o homem esteja só; vou dar-lhe uma auxiliar semelhante a ele". Aqui tenho de parar a citação. Estou com um bocado de falta de oxigénio no cérebro (Não consigo pensar, o que é natural uma vez que sou mulher). Agora segue-se um pequeno período de catatonia: UMA AUXILIAR. UMA AUXILIAR. UMA AUXILIAR. UMA AUXILIAR UMA AUXILIAR? UMA AUXILIAR?? UMA AUXILIAR?! COMO? UMA AUXILIAR! UMA AUXILIAR? O QUE É UMA AUXILIAR?

 

Pronto, já estou bem. Continuando: "Da costela que retirara do homem, o senhor Deus fez a mulher e conduziu-a até ao homem. Então o homem exclamou: Esta é, realmente, osso dos meus ossos e carne da minha carne. Chamar-se-á mulher".    Temos que aceitar. Porque vem na Biblia. E "é por vontade de Deus que eu vivo nesta ansiedade". E também foi "Deus que deu luz aos olhos e deu-me esta voz a mim". Á Amália, claro. 

 

Por muito que procure, não consigo encontrar na Biblia o fundamento directo do racismo. Só da xenofobia. Mas, evidentemente, devia lá estar. Penso que há, por esta razão, uma grande falha na Bíblia. O Grande Livro de todas as resposta devia dar-nos a explicação para o facto de, por exemplo, os "pretos" serem inferiores aos brancos. 

 

Porém, voltando ainda ao "Jardim do Éden", percebo agora, porque razão quis Deus retirar ao homem a faculdade (o poder, digo eu) de "gerar" e "dar à luz". Na verdade, as crianças deveriam ser concebidas nas costelas do pai e nascer-lhes por um buraco nas costas. E só assim não é porque foi preciso condenar a mulher às dores de parto. Porque a mulher se deixou enganar pela serpente e enganou o homem. Veja-se que o homem e a mulher comeram a maçã, mas a serpente não. A serpente tem mais personalidade do que ambos e a mulher, sendo mais estúpida do que a serpente, sempre é mais esperta do que o homem. É por esta razão que o único castigo da serpente consistiu em rastejar para sempre. O que não se pode dizer que seja uma má coisa, verificadas todas as vantajens conexas de que as serpentes gozam na vida.  Perante tudo isto, só não sei o que dizer da cesariana.

 

Eu acredito em Deus. Tenho muito menos fé do que aquela que preciso. Mas acredito. Porque sinto. O sentir é algo que é pensado, e faz sentido na alma de uma pessoa. Eu sinto. Por sentir, gostaria de sentir ainda mais. Há uma força que vem disto. Uma força maior do que nós. Muito maior. Que, por vezes, nos afecta. Nos faz ser melhores. De vez em quando. Tenho pena que só me afecte e não me altere. Se me alterasse eu teria verdadeiramente fé. Ter fé é o meu maior desejo. É um sonho. No dia em que eu for capaz de ser justa e limpa; no momento em que eu souber como não sentir as minhas dores; na altura em que eu compreender o que significam exactamente o perdão e a bondade; nesse dia eu serei uma pessoa com alguma fé. Logo melhor. Por isso muito mais forte. É um sonho. E todos temos o direito de sonhar.

 

Portanto, que se calem o papa e os padres. Que se acabe com os deprimentes cânticos da igreja. Que não se ouçam mais salmos e provérbio recitados. Quer dizer, isto é só uma forma de falar. Ou seja, eu é que não estou para estas coisas, quem quiser, que coma o pó. De resto, a liberdade é um bem fundamental.

 

No entanto... vale sempre a pena abrir a Bíblia para ler o "Sermão da Montanha".

 

 

 

publicado por Cat2007 às 21:30
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

Cheguei à pouco a casa depois de uma boa caminhada e de pensar e desopilar um pouco. Voltei a casa de metro e não a pé. E voltei mais tarde e não naquela altura.
EStive a pensar... estive a pensar na tarde que tinha passado... e a pensar de como eu tinha feito qdo não tinha auto estima, o que me tinha levado a ir em frt, devagarinho e tentar. EStive a pensar. E... eu não sabia o que queria, para onde ia, não sabia.... mas às vezes eu sabia o que não queria. às vezes eu sabia que não queria e agarrei-me ao que não queria... tudo o que tinha era o que não queria.... Eu pensei.... pensei em tudo... pus todas as hipóteses, todas. Mas havia coisas que eu não queria. Eu tinha a certeza que não queria. Agarrei-me aos meus não quereres (que são só meus):
- não queria continuar a sofrer
- não queria morrer
- não queria voltar a cometer os mesmos erros
e destes não quereres surgiram outros não quereres:
- não queria não respeitar-me (dupla negação.... de repente parece que tenho um querer...)
- não queria estar com alguém que não quer estar comigo (dupla negação.... de repente parece que tenho dois quereres...)
.... e assim.... não querer atrás de não querer fui indo... Como o passado me fazia sofrer e o futuro não existia.... pois eu não sabia o que queria, para onde ia, como fazer resolvi viver o presente... viver o momento... sabendo sempre e respeitando sempre o que eu não queria! Assim, passei a tentar viver da forma mais positiva possivel o momento presente, mas sempre tendo consciencia de que se o corpo pede é para ser respeitado, se o coração pede é para ser respeitado.... O corpo pede sono nem que sejam um numero interminável de horas eu dou, o coração apetece-lhe chorar eu choro....
Deus, culpa, paraiso, inferno..... balelas..... tratar-me bem, respeitar-me, abraçar o que sou o bom e o men os bom, aproveitar os momentos sozinha e com outros e valoriza-los é a minha fé!
Sara a 9 de Janeiro de 2010 às 19:19

Deus existe. A culpa católica e as suas vitimas Saramago explica na sua última obra. Mas nem precisava porque todas as vitimas já o sentiam perfeitamente. O inferno e o paraiso não estão no Céu, nem na Terra. Estão dentro de nós. Por tudo isto tens razão.
Cat2007 a 11 de Janeiro de 2010 às 10:31

Sou absolutamente incapaz de ler Saramago, apesar de já o ter tentado diversas vezes. Por isso não sei a que te referes.
Eu não acredito em Deus como uma entidade.... não consigo conceber.... mas acredito em energia... e acredito numa energia comum a todos os seres e não seres. Acredito em energias, que comunicam entre si, que são sentidas e persentidas pelos outros, pelo que nos rodeia. E que interagem.
Sara a 11 de Janeiro de 2010 às 10:41

Não consegues ler Saramago? Mas já tentaste a sério? Eu, não só consigo, como aprecio. Também não acredito em Deus como uma entidade personalizada. Acredito numa energia como tu. Portanto, mais uma vez de acordo. Beijos
Cat2007 a 11 de Janeiro de 2010 às 14:12

Não consigo e jás tentei a sério e até à exaustão! Não consigo ler, perco-me na narração, ou então adormeço de tédio! Provavelmente é uma deficiencia minha, mas muito bem assumida.
(acho que chega de beijos por hoje) ;)
Sara a 11 de Janeiro de 2010 às 22:11

Cada um com as sua limitações, querida. Bjs
Cat2007 a 11 de Janeiro de 2010 às 23:47

O que se gosta numa costela, que lambe o pó?
Eu não gosto de costelas que lambem o pó, mas às vezes as costelas que lambem o pó, na realidade não são costelas que lambem o pó. Ou eu pelo menos acho que não! às vezes apresentam-se e mostram-se como tal, mas não são! E é dificil perceber, porque há momentos em que deixo de vêr a costel a lamber o pó, mas depois ela volta-se a apresentar-se como tal!
E eu.... eu fico confusa.... faço as contas, ponho na balança e pende para uma costela que lambe o pó.... mas eu continuo hesitante. Decido, desdecido, decido, desdecido.
Será que hesito por a costela ser bonita, vermelhinha sadia e com um ar apetitoso? Boa para dar uma dentada? Ou será que hesito porque na realidade a costela que lambe o pó, não só não lambe o pó, como também não é uma costela?
Resolvo que não vou dar uma dentada na costela que lambe o pó.... depois sou surpreendida quando vejo que afinal a costela que lambe o pó é o Capuchinho vermelho!....hmmmm .... hjmmm capuchinho vermelho não é exactamente a imagem que procurava.... hmmmmm
A costeta que lambe o pó é.... é.... a minha amiga clarinha.... eu na realidade ainda não sei quem a costela que lambe o pó... só sei que ela não é a costela que lambe o pó.... e sei que me sinto bem com aquela que não é a costela que lambe o pó!
Sara a 9 de Janeiro de 2010 às 19:37

A costella que lambe o pó é a mulher porque o homem, embora lamba o pó nmão teve origem em nenhuma costela. Assim, fiica muito evidente o que queres dizer. Beijo.
Cat2007 a 11 de Janeiro de 2010 às 10:32

Acrescentaria ainda que dar dentadas em costelas não é coisa que se faça de ânimo leve. Em princípio pode-se partir um dentinho ou dois.
Cat2007 a 11 de Janeiro de 2010 às 14:14

Concordo completamente!!! POr isso tomei a decisão que tomei!
Sara a 11 de Janeiro de 2010 às 22:12

Exacto!
Cat2007 a 11 de Janeiro de 2010 às 23:45

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
Já tinha saudades de ler o seu blogue.
Ok. Obrigada, querida.
Tu também!Envio te o número por FCP para o caso de...
Muito obrigada, Bruno.
Gostei do post.Não os lia faz algum tempo, já tinh...
Também estás na terapia. Ainda bem. Mas podemos se...
Ora, são as agressões.
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18

20
22
23
24
25
26

27
28
29
30


blogs SAPO