CAFÉ EXPRESSO

Fevereiro 26 2010

 

 

Existe uma ligação forte entre o elogio e a inveja. Mas não só. Entre o medo e  o elogio também. Neste último caso, nos dois sentidos. E assim já não é tecnicamente elogio. Porque é elogio presenteado, tipo brinde publicitário "gama para empresas", quero dizer. Numa situação destas, se há elogio, não há elogio, portanto. Há a mentira utilitária a ver se pega e dá alívio. Há, assim, uma ligação aparente entre o elogio e a mentira. Com certeza! Palpita-me, então, que também existe uma ligação sólida entre o elogio e a cobardia. On verá (apetece-me dizer este francês sintético musicado, linha Brel, se fosse ele a cantar), mas não é hoje, que não estou com paciência para desenvolver por aí.

 

Gosto de ser elogiada. Naturalmente. Qualquer manualzinho de bolso sobre psicologia aplicada (ao quotidiano comezinho) ensina que assim é. Ou seja, que as pessoas gostam de ser elogiadas, e não apenas eu própria. Na verdade, não existe nenhum manualzinho que fale de mim. Não vale a pena mentir quanto a esta questão. Sobre a questão do elogio, não da inexistência do manualzinho sobre mim.

 

Normalmente, ninguém me elogia. Durante muito tempo pensei que isso era normal. Acreditava, dada a normalidade do facto (entendida no seu sentido de habitualidade) que tal só podia suceder por virtude da crença generalizada de que o elogio amolece o espírito, insufla o ego, desincentiva o esforço.Trabalho e alegria são incompatíveis. Prazer pela obra realizada é praticamente um pecado  (tal como a luxúria é um dos "Sete pecados mortais", e afinal todos sabemos que foder é óptimo). Seja lá que obra for (mesmo que seja encerar um chão muito bem). Pelo trabalho tem-se o salário. Pelo trabalho obtém-se uma nota curricular (quando se obtém. Há professores que não acreditam no mérito de ninguém, para além do seu próprio descoberto pela visão privilegiada de quem está a ver do ponto muito alto onde se situa a sua vaidade).  Nem a admiração revelada se adquire pelo trabalho. Só pelo estatuto. Ter concluído uma licenciatura em Direito, apenas contribuiu (infelizmente) para cimentar, ainda mais (como se fosse preciso), esta minha (errada) noção para a vida.

 

Geograficamente, nós, Portugal, não somos o país mais pequeno da Europa.  Porém, não sei porquê, acreditamos firmemente que sim. Somos o país mais pequeno da Europa. Como justificar este absurdo? Com a doença. Nós estamos doentes do sistema métrico do nosso patriotismo.

 

Um dia entrei em contacto mais estreito com a sociedade civil brasileira (aquele conjunto de fenómenos organizados  que ficam entre o Estado e a família), bem  como com a sociedade brasileira não organizada -  com pessoas individualmente consideradas. Fui elogiada pela primeira vez com toda amplitude e verdade. Nem mais. Por estrangeiros e desconhecidos.

 

No princípio, estranhei. Achei que não era verdade. Que os brasileiros são assim: gente de sorriso fácil. De gingado fácil.  Em geral, de pouco saber e cultura. Gente de mentira fácil. Gente que diz e faz tudo enquanto anda pela superfície da vida, a ver se é amada ou apenas se safa. "Como os brasileiros são mal educados, carentes, egocêntricos e oportunistas, pensava". Mal. Muito mal na minha falta de educação básica. Se digo aqui e agora tudo isto que pensava é porque já me arrependi há muito tempo e tenho vergonha ainda hoje.

 

Os brasileiros são tanto assim como o são os portugueses, os ingleses, os franceses, os americanos, os indianos, os alemães ou os africanos. Quem pensar o contrário um dia arrepender-se-á. Não se pode confundir um universo cultural particular a cada sociedade com o carácter de cada pessoa. Podemos gostar, ou não gostar, do modo de viver global de um determinado povo. Podemos gostar, ou não, conforme a nossa própria sensibilidade e aptidão para poder saber mais dos outros. O que não se pode é andar por aqui e por aí a generalizar, caracterizando e reduzindo ilogicamente cada ser humano a um padrão que, ainda para mais, nem sequer é apurado.

 

Espero que resulte evidente que não procuro por aqui elogios! Sobretudo porque sei que não os receberei de boa vontade. Mas, ainda que estivesse a precisar muito de ser elogiada, seriam elogios portugueses. E, em Portugal não se elogia verdadeiramente ninguém. Sinceramente, sentir-me-ia muito incomodada por um solto e sorridente elogio lusitano. Nós não temos capacidade (nós, menos eu, se me permitem). E eu não estou habituada a nós (menos a pessoas como eu, se me permitem). É cultural. Não há nada a fazer!

 

Ser capaz de elogiar, não tem tanto a ver com o que se sabe ou conhece das coisas, mas com o modo de sentir das pessoas. Com o nosso modo de sentir. Exactamente.

 

Porque vivemos tão mesquinhos e desconfiados? É uma pena que um país ande há tanto tempo a deixar-se dominar pela insegurança, pelo medo, pela dúvida e pela inveja. É cultural. Há tudo a fazer!

 

publicado por Cat2007 às 15:29
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

"uem recusa uma lisonja é porque procura ser lisonjeado duas vezes ";
"Por melhor que digam de nós, não nos dão nenhuma novidade "
Autor: La Rochefoucauld , François

"A melhor forma de te não dizerem pequeno é dizeres dos outros que são grandes. Sobretudo se for mentira "
Fonte: "Escrever"
Autor: Ferreira , Vergílio

"Podes conhecer o espírito de qualquer pessoa, se observares como ela se comporta ao elogiar e receber elogios ";
"As coisas não são elogiadas porque são desejáveis, mas desejadas porque são elogiadas"
Fonte: "Cartas a Lucílio"
Autor: Séneca

"Contra os ataques é possível nos defendermos: contra o elogio não se pode fazer nada "
Fonte: "O Mal-estar na Civilização"
Autor: Freud , Sigmund

"O homem reconhece e elogia apenas aquilo que é capaz de fazer "
Fonte: "Colóquios com Goethe"
Autor: Eckermann , J.

"logiamos ou criticamos de acordo com a maior oportunidade que o elogio ou a crítica oferecem para fazer brilhar a nossa capacidade de julgamento "
Fonte: "Humano, Demasiado Humano"
Autor: Nietzsche , Friedrich
Dina a 26 de Fevereiro de 2010 às 17:33

"Quem recusa uma lisonja é porque procura ser lisonjeado duas vezes ";
"Por melhor que digam de nós, não nos dão nenhuma novidade "
Autor: La Rochefoucauld , François

"A melhor forma de te não dizerem pequeno é dizeres dos outros que são grandes. Sobretudo se for mentira "
Fonte: "Escrever"
Autor: Ferreira , Vergílio

"Podes conhecer o espírito de qualquer pessoa, se observares como ela se comporta ao elogiar e receber elogios ";
"As coisas não são elogiadas porque são desejáveis, mas desejadas porque são elogiadas"
Fonte: "Cartas a Lucílio"
Autor: Séneca

"Contra os ataques é possível nos defendermos: contra o elogio não se pode fazer nada "
Fonte: "O Mal-estar na Civilização"
Autor: Freud , Sigmund

"O homem reconhece e elogia apenas aquilo que é capaz de fazer "
Fonte: "Colóquios com Goethe"
Autor: Eckermann , J.

"Elogiamos ou criticamos de acordo com a maior oportunidade que o elogio ou a crítica oferecem para fazer brilhar a nossa capacidade de julgamento "
Fonte: "Humano, Demasiado Humano"
Autor: Nietzsche , Friedrich
Dina a 26 de Fevereiro de 2010 às 17:35

Cara Dina,
As máximas dos outros só servem para demontrar as limitações de quem as reproduz.
catarina_cabral@sapo.pt a 27 de Fevereiro de 2010 às 01:01

Explicando melhor: argumentar com as máximas dos outros. É que não é o mesmo que aprender alguma coisa com quem comprovadamente sabe. Aprender resulta sempre em algo de criativo. Já a reprodução pura e simples é sintoma de mediocridade, para não dizer outra coisa.
Cat2007 a 27 de Fevereiro de 2010 às 01:27

Aproveito ainda para esclarecer que o filosofo alemão citado, FN enlouqueceu, tendo passado os seus últimos dias num manicómio a a firmar que era Deus.
catarina_cabral@live.com.pt a 27 de Fevereiro de 2010 às 01:34

Ainda se eu me regesse pela máxima dos outros até poderias ter alguma razão!

E para quem se rege por uma fé católica até me custa compreender-te.
Sim que isso não compactuo mas respeito quem o faz! Afinal as pessoas que não se conhecem dificilmente se compreenderão!

Nada argumentei nem o vou fazer quando não há disponibilidade para isso!
Se o tivesses entendido, saberias que era como que uma ilustração ao teu texto.
Porque ter ideias próprias não implica não conhecer as ideias dos outros!

Que tal como a liberdade de expressão também aqui devia haver alguma liberdade de dispersão!

E não querendo descodificar, quando aqui deixo algum comentário não mais é que para dispersar!

Bom fim de semana e não te deixes embalar neste vendaval!
Dina a 27 de Fevereiro de 2010 às 13:55

Cara Dina,

Eu não te conheço para saber das coisas pelas quais te reges, ou não.Constatei apenas sobre o conteúdo de um comentário ao meu post.
Por outro lado, também não me conheces para afirmar que eu rego a minha conduta pela fé católica.
De facto, não somos amigas, sem volta a dar.
Este blog é público. Qualquer pessoa lhe pode aceder, bem como fazer os comentários que entender. Em regra, respondo. Em primeiro lugar, por educação. A educação deve vir sempre em primeiro lugar. É a minha opinião.
De resto, cada um diz o que muito bem entende. Eu quando escrevo os textos. Os demais que os comentam quando comentam. Dentro dos limites dos bom senso e do bom trato, cada um diz exactamente o que lhe apetecer, se lhe apetecer.
Cat2007 a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:39

Lá está: liberdade de expressão e liberdade de dispersão!
Boa educação acima de tudo!
Dina a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:46

Com certeza. E também me parece que uma certa sobre os contornos dos contextos, também é muito importante.
Cat2007 a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:54

Certa noção, era o que eu queria dizer.
Cat2007 a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:55

Interpretações, minha cara, intepretações!
Dina a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:59

Pois a mim parem-me mais factos.
Cat2007 a 1 de Março de 2010 às 14:51

Minha querida amiga,
Após horas intermináveis de conversa (como se pode vêr) resolvi vir deitar-me e por questão de hábito vêr o que se passava pelas internetes antes de pousar a minha cabeça na almofada, para um rápido sono repousante (ainda me doi a garganta, da tosse e de tanto falar).
E qual não é o meu espanto quando repentinamente vejo um novo post teu, sobre um tema que tinhamos discutido anteriormente.
Neste momento apetece-me elogiar-te, mas não me parece justo. Nem para mim, nem para ti.
Sabes às vezes eu posso interpretar um elogio como algo forçado e imposto em termos culturais (como por exemplo os ingleses ou americanos fazem) e devo-te confessar que gosto pouco desse elogio institucionalizado.
Por outro lado tenho de concordar que o negativismo, e constante criticismo português acompanhado de falta de acção para alterar o que está mal também me irrita, assim como a falta de capacidade de apreciar o que de bom há no nosso país (eu sou portuguesa).
Penso que essa noção e proclamação do que é bom deve ser feita. O que eu chamo de constatação (neste caso positiva) e tu de elogio. E deve ser feita por nós proprios, antes de tudo.
E qdo nós começamos a constatar o que temos de bom enquanto País e enquanto individuos e qdo começamos a constatar o que temos de menos bom, podemos começar a agir e a mudança para melhor pode começar a dar-se.
Não era nada disto que ia dizer quando comecei a escrever... mais uma vez...
Tens uns pontos no post que eu quero abordar, mas de momento estou a começar a apagar.....
abracinho

sara a 27 de Fevereiro de 2010 às 07:10

Então vamos lá abordar os pontos que queres abordar. Fico à espera.
Cat2007 a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:50

Em primeiro lugar: TU ESTAVAS COM OS SONOS TRCOADOS, OU O QUÊ? 7.10H DA MANHA???????????
Pois elogiar alguém que fala no assunto parece "meio que pega mal", como dizem os brasileiros. Compreendo-te perfeitamente.
Os ingleses, especialmente, têm o hábito de dizer que tudo é lovely. Mesmo quando se estão a referir a batatas ou ervilhas. Eu acho que isso é um sintoma de delicadeza e de boa educação. Portanto, lovely.
O elogio dos outros está integrado com a falta de atitude positiva a que te referes. Mas o teu conceito é evidentemente mais amplo. Já agora, não disse no post, mas também acho que o elogio está directamente ligado à critica... construtiva. Ora bem.
Cat2007 a 2 de Março de 2010 às 17:33

Não se aguenta: ESTOU A ESCREVER QUASE TÃO MAL COMO TU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Cat2007 a 2 de Março de 2010 às 17:37

De onde veio isto agora!?!?!?!?
De que falas tu? Contextualiza-me por favor....
sara a 2 de Março de 2010 às 19:48

Vem dos erros e enganos que estou a praticar nas respostas que dou aos comentários. Não é obvio?
Cat2007 a 3 de Março de 2010 às 14:37

Tu nitidamente, estás com vontade de me bater.... já li os teus posts seguintes e tu hoje resolveste descascar-me à grande....
sara a 3 de Março de 2010 às 22:15

Tu estás a inventar. Ok? Beijos
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 09:44

:S
sara a 4 de Março de 2010 às 10:14

Isso quer dizer que percebeste que estavas mesmo a inventar, certo?
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 20:12

Não....
Mas também acho que não é importante.
sara a 4 de Março de 2010 às 23:41

Achei que devia explicar:
A nossa amizade é impoortante.... o eu achar que tu naquele dia estavas do contra não é. AS pessoas têm oscilações de humor, é normal.
Não acho importante desenvolver o tema. Eu confio em ti.
sara a 5 de Março de 2010 às 13:37

Cponcordo. E também confio em ti. Claramente.
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 11:01

está bem. ;)
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 10:55

Sonos trocados... nem por isso.
O N convidou o LT e a R para ca virem jantar a casa e eles foram-se às 4h30 e depois nós os dois ficamos numa conversa interminavel.... como é normal. Eu tenho o carma de ter amigos que falam tanto ou mais que eu! ;)
sara a 2 de Março de 2010 às 19:11

Menina, quando eu me deito às 07.ooh da manhã, a minha cabeça dá uma volta de 180º, e é um desassossego para voltar à normalidade. Isto porque de facto, bio´logicamente eu sou uma notivaga e o meu relógio biológico quer sempre voltar a esse ritmo.
Cat2007 a 3 de Março de 2010 às 14:31

Pois... mas eu passei estes dias a dormir uma media de 5 horas por dia, o que não é suficiente para mim.
O primeiro dia foi converseta e nos outros trabalho.
Eu preciso de 8 horas de sono e hoje vou goza-las bem.
sara a 3 de Março de 2010 às 22:18

Bem, eu se não dormir pelo menos sete horas por dia, fico impossivel. E o ideial é de facto também 8h. Aproveita, então.
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 09:46

Já me sinto mais aturavel.
sara a 4 de Março de 2010 às 10:14

Sim, notei que estavas com um ar descansado.
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 20:14

Eu pelo contrario achei que tu hoje estavas agitada....
sara a 4 de Março de 2010 às 23:42

Pois estava mesmo. É a vida.
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 10:57

Após um sono reparador que me faz sentir tão fresca como uma couve lombarda saida da terra`há um mês e meio aqui venho eu continuar a minha deambulação por este post que fala de muito que me é caro.
Antes de mais, minha querida e respectivos leitores, tenho de pedir que me concedam alguns créditos, pois no meu actual estado de graça é natural que escreva uma coisa, ainda menos coisa que o normal (coisa é uma palavrinha util e bonita possivel de aplicar em qualquer género de situação... é fantastico).
Comecemos pela honestidade de sentimentos, que nos levará a honestidade de acções e por conseguinte ao equilibrio e realização... é claro que estas são verdades de mim para mim, nas quais só embarca quem souber nadar. Acho que este assunto está apontado não sendo necessario aprofunda-lo. Para bom entendedor meia palavra basta.

No seguimento, do raciocinio acima descrito conclui-se que só com a dita honestidade se poderá levar uma vida realizada e completa. Na qual o reconhecimento por aquilo que somos, representamos e para o qual trabalhamos é um facto.

Assim sendo, gostaria de dizer que à media que o tempo passa cada vez tenho mais orgulho daquilo que vivi (do bom e do mau), das opções que fiz e dos amigos que encontrei. Grupo no qual estás obviamente incluida, e encontro no qual estou muito feliz que tenha acontecido.

Sinto que já disse o que tinha a dizer....

Agora só me falta mandar a culpa e valores católicos à M...., por que facto são tudo aquilo pelo que eu não me rejo e tudo aquilo em que não acredito.

Se tiveres duvidas pergunta, por favor. ;)

sara a 27 de Fevereiro de 2010 às 11:11

Muito obrigada pelo elogio. E mais, sinto-me muito lesonjeada por ser tua amiga.
Cat2007 a 28 de Fevereiro de 2010 às 15:48

Conclusão:
Pelos teus comentários não fiz sentido nenhum... para ninguém a não ser eu propria.... :S
Bom acontece.

Beijocas
sara a 28 de Fevereiro de 2010 às 20:23

Não foi nada disso.
Cat2007 a 1 de Março de 2010 às 14:54

Então?
sara a 1 de Março de 2010 às 14:57

Depois explico com tempo. Já te disse. Beijos.
Cat2007 a 1 de Março de 2010 às 14:59

Também gosto de me referir às coisas como coisas.
A honestidade só leva ao equilibrio de quem é honesto, aos demais desiquilibra.
Há quem não goste de saber quem é e, apesar de see ver imensas vezes ao espelho, nega a criatura e só vê a roupa e as unhas ou o umbigo.
Há coisas más que me dispensava de ter vivido. Sinceramente. Não me acrescentaram grande coisa. É por isso.
Das coisas que fiz mal, tenho pena, mas também sei que talvez, nos momentos em que agi, não tivesse capacidade para fazer melhor.
Beijos amiga.
Cat2007 a 2 de Março de 2010 às 17:42

Beijos
sara a 2 de Março de 2010 às 19:12

Beijos quer dizer que compreendes?
Cat2007 a 3 de Março de 2010 às 14:32

Compreendi, como percebeste pelo meu comentário seguinte em que digo que gostei da honestidade.
sara a 3 de Março de 2010 às 22:19

Agora quase que deixava de perceber outra vez. Mas percebi. Beijos
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 09:47

Começo a ficar com duvidas. Afinal o que era suposto eu ter percebido?....
sara a 5 de Março de 2010 às 13:39

Oque eu queria dizer. Ora!
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 11:02

Goza, com a preta, goza... :P
sara a 10 de Março de 2010 às 11:09

Se fossemos brasileiras, o que tu escreveste seria absolutamente inapropriado.
Cat2007 a 11 de Março de 2010 às 10:36

Os Brasileiros em muitos aspectos são altamente preconceituosos. Ainda ontrem estive numa grande conversa com uma amiga brasileira e de certa forma o tema era esse.
sara a 11 de Março de 2010 às 10:45

Sei muito bem que são. Mas não era disso que estava a falar. Era mesmo da palavra goza e, já agora, preta. Lol. Beijocas
Cat2007 a 12 de Março de 2010 às 09:49

aaaaaaaaaaaH!!!!!
Não tinha atingido a dimensão da coisa. Demasiado para a minha inocente cabecinha.
sara a 12 de Março de 2010 às 10:24

Confirma-se: és uma inocente.
Cat2007 a 16 de Março de 2010 às 13:45

Em algumas coisas definitivamente!!!
Tu não?!?! ;)
sara a 16 de Março de 2010 às 20:39

Eu? Totalmente!
Cat2007 a 17 de Março de 2010 às 09:51

:D agora ia dizer uma coisa indecente... mas não posso porque sou uma rapariga decente.
Paciencia... fica para a próxima.
sara a 17 de Março de 2010 às 09:53

Não podias porque és uma inocente, certo?
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 02:06

Não exageres!!!
sara a 23 de Março de 2010 às 09:06

Pois, com certeza. A inicência tem limites.
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 13:43

Gosto da honestidade do que dizes. :)
sara a 2 de Março de 2010 às 19:51

E eu gosto de pessoas que apreciam a honestidade.
Cat2007 a 3 de Março de 2010 às 14:38

e eu gosto de pessoas honestas.
sara a 3 de Março de 2010 às 22:20

Eu também. Tenho que dizer, não vão restar algumas dúvidas estranhas.
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 09:48

lololollll. Bom sinal.
sara a 4 de Março de 2010 às 10:16

Não sei´se é bom sinal eu desconfiar das tuas avaliações das coisas que eu digo. Lol
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 20:18

Não estava a levar as coisas nesse sentido... mas por essa perspectiva acho natural e que tu tens razões para isso... mas também sabes que não sou pouco clara com as minhas interpretações..... não sou pouco obvia...
sara a 4 de Março de 2010 às 23:45

Sobre as tuas interpretações, creio que estamos conversadas. Lol.
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 10:58

Sem duvidas. ;)
sara a 10 de Março de 2010 às 11:10

,)
Cat2007 a 11 de Março de 2010 às 10:35

perdeste um olho?
sara a 13 de Março de 2010 às 14:01

Que bem observado!
Cat2007 a 16 de Março de 2010 às 13:52

Eu sou uma rapariga observadora por principio!
sara a 16 de Março de 2010 às 20:40

Sei muito bem.
Cat2007 a 17 de Março de 2010 às 09:50

o assunto esta-se a esgotar....hmmmm.... eu sei que sabes.
sara a 17 de Março de 2010 às 09:54

Talvez isto precise de um novo post
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 02:08

Só qdo sentires que tens algo para dizer e o queres tornar público.
sara a 23 de Março de 2010 às 09:07

Ora, não me faltam coisas para dizer. O problema estará mesmo na publicidade. Veremos como dar a volta ao problema.
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 13:45

Os pontos que queria comentar encontram-se neste extracto do teu post:
"Normalmente, ninguém me elogia. Durante muito tempo pensei que isso era normal. Acreditava, dada a normalidade do facto (entendida no seu sentido de habitualidade) que tal só podia suceder por virtude da crença generalizada de que o elogio amolece o espírito, insufla o ego, desincentiva o esforço.Trabalho e alegria são incompatíveis. Prazer pela obra realizada é praticamente um pecado (tal como a luxúria é um dos "Sete pecados mortais", e afinal todos sabemos que foder é óptimo). Seja lá que obra for (mesmo que seja encerar um chão muito bem). Pelo trabalho tem-se o salário. Pelo trabalho obtém-se uma nota curricular (quando se obtém. Há professores que não acreditam no mérito de ninguém, para além do seu próprio descoberto pela visão privilegiada de quem está a ver do ponto muito alto onde se situa a sua vaidade). Nem a admiração revelada se adquire pelo trabalho. Só pelo estatuto. Ter concluído uma licenciatura em Direito, apenas contribuiu (infelizmente) para cimentar, ainda mais (como se fosse preciso), esta minha (errada) noção para a vida."
Penso que este paragráfo é claro no que toca a demonstrar / denunciar o comportamento / mentalidade católica vigente no nosso país, até à bem pouco tempo, que está pejada de conceitos negativos procurando afastar o ser humano de tudo aquilo que lhe pode dar prazer, satisfação e bem estar, tornando-o numa criatura, negativa, frustada e pejada de invejas (e como tal desonestidades).
O ser Humano precisa de acreditar, gostar, amar e tratar bem, a si e aos outros para se tornar melhor.
Em termos básicos era disso que falava nos meus comentários anteriores. Peço desculpa se não fui muito obvia.
Beijinhos
sara a 1 de Março de 2010 às 10:25

Bom, vou precisar de um bocadinho mais de tempo do que aquele que disponho agora para te responder apropriadamente. Até logo. Beijoca.
Cat2007 a 1 de Março de 2010 às 14:57

OK.
sara a 1 de Março de 2010 às 14:57

Thanks.
Cat2007 a 1 de Março de 2010 às 14:58

Se o excerto é revelador da mentalidade católica ou, mais apuradamente, a mentalidade judaico-cristã, então os demais seres humanos que não se incluem são uma maravilha de pessoas. Além de que são extremamente felizes. Enfim, sejamos justos.
Já agora, sou católica porque fui baptizada na religião. Chega para ser católico? Se seim, então está bem.
Beijinhos
Cat2007 a 2 de Março de 2010 às 17:45

Eu acredito que sim. Que é revelador.
Não percebo se estas a ser irónica.... suponho que sim mas ggostava que explicasses, por favor.
Não estou a dizer que és católica, estou a dizer que o teu post denuncia uma mentalidade, uma cultura catolica vigente no nosso país.
Alias eu acho que tu estás cada vez menos católica.
sara a 2 de Março de 2010 às 19:17

Não concordo, é revelador de um comportamento enraizado numa cultura. A religião está inserida na cultura de um povo, mas não é toda a sua cultura. Sabemos que os paises católicos são mais propensos a estas coisas do que os outros. Mas o Brasil é altamente católico e não sofre muito deste problema.

Eu não estou cada vez menos católica. Eu cada vez mais mostro que não me sinto católica.
Cat2007 a 3 de Março de 2010 às 14:36

Tu percebeste o que queria dizer... mas se quiseres continuar a bater...
sara a 3 de Março de 2010 às 22:21

Agora uma pessoa não concorda exactamente (ponto por ponto) com S Exª e já está a bater. Não se aguenta!
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 09:50

Tu gostas de uma boa discussão e eu queria te dar este presente. :D
Beijoca muito gorda
sara a 4 de Março de 2010 às 10:17

Por acaso, não gosto nada. Mas se me obrigam a discutir, sou insuportável e, pior, altamente resistente, incans´vel mesmo.
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 20:16

achei que estavas com preciosismo relativos à forma de expressar a ideia.... e resolveste picar quando percebeste perfeitamente o que eu queria dizer.
Mas também não é grave... nem importante.
sara a 4 de Março de 2010 às 23:48

Claro. Adoro a hora do recreio.
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 10:59

EStás inspirada hoje, minha querida! :D
sara a 10 de Março de 2010 às 11:04

Nem por isso. Não me queiras ver inspirada. Eu própria tendo a evitar.
Cat2007 a 11 de Março de 2010 às 10:40

Eu falei no bom sentido. Achei piada ao que disseste e levei na brincadeira.
sara a 11 de Março de 2010 às 10:46

I Know
Cat2007 a 11 de Março de 2010 às 12:32

Chataaaaaa! ;)
sara a 13 de Março de 2010 às 14:02

Why?
Cat2007 a 16 de Março de 2010 às 13:53

POrque és...
sara a 16 de Março de 2010 às 20:41

Assim uma chata de galochas e tudo?
Cat2007 a 17 de Março de 2010 às 09:49

às vezes de galochas pretas de tacão alto, com solas brancas. E de galochas até à rotula do joelho!!!
sara a 17 de Março de 2010 às 09:55

Gostaste mesmo delas, hem.
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 02:10

Nem por isso... para dizer verdade.... mas chamam a atenção!
sara a 23 de Março de 2010 às 09:08

Olha, agora fiquei desiludida.
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 13:47

Paciência!
É a vida!
sara a 23 de Março de 2010 às 14:19

Há coisas piores na vida. Lol
Cat2007 a 25 de Março de 2010 às 00:16

Verdade.
Este post já deu o que tinha a dar. :S
Como tal despeço-me do post e do blog, até novo post.
Beijinhos
sara a 25 de Março de 2010 às 08:38

O pior é que me falta tempo... tempo...
Cat2007 a 26 de Março de 2010 às 23:26

Acredito que de facto sim é revelador da mentalidade judaico-crista... mas como é óbvio não se ser católico nao é sinónimo de felicidade. Os factores para o equilibrio e a felicidade são vários e diferem de indivuduo para individuo. Só acho que o que o catolicismo prega e as normas pelas quais se rege não contribui para a felicidade de ninguém, se levado a serio.
òbviamente é natural que existam católicos felizes e equilibrados.
Só agora percebi o que dizias. Doente de cama. Só volto amanhã.
sara a 2 de Março de 2010 às 20:01

Catolicismo e culpa deviam ser sinónimos. E não o sendo são. Ser católico resume-se basicamente a ser culpado. De quê? De tudo. A começar pela morte do Cristo. Enfim.
De cama outra vez????????? Não achas que está na hora de ir ao médico?.Bem, as melhoras.
Cat2007 a 3 de Março de 2010 às 14:40

Desta vez é diferente e já estou bem.
Beijos
sara a 3 de Março de 2010 às 22:23

Quando te levei não me parceu nada diferente. Mas está bem. Importa é que estejas recuperada. Beijinhos.
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 09:51

Não posso explicar por aqui... mas se olhares para o teu telefone vais perceber. ;)
A constipação curei no sábado, durante o alerta vermelho, numa quinta de tras os montes, onde a electricidade e os telemóveis estavam cortados.
Assim foi passada uma magnifica noite de lua cheia, com a sala/cozinha iluminada com luz da lareira e de velas. Foi uma noite magnifica. houve umas horas à noite que fique sozinha em casa, pois os meninos foram a casa do senhor da quinta do lado, e aquele tempo sentada no sofá em frt à lareira soube-me como ginjas. hmmm.... tão bom. Aquela noite veio mesmo a calhar.
sara a 4 de Março de 2010 às 10:23

Lol. Já estou esclarecida.
Cat2007 a 4 de Março de 2010 às 20:19

Linda acabei de receber uma super noticia de trabalho cheia de super possibilidades!!!! è super, super!!!
:D Sinto-me feliz!
Vou ter muito trabalhinho esta semana! :D
super abraço de super amiga.
(eu sei estou meia infantiloide... mas é assim que me estou a sentir) :D
sara a 8 de Março de 2010 às 00:14

Já sei da notícia claro! Hore podes gritar à hora do chá, se achares bem e te apetecer.
Cat2007 a 10 de Março de 2010 às 11:03

Já passou a histeria. mas obrigada por te propores a suportar tamanha vergonha, apenas para eu dar aso à minha alegria.
sara a 10 de Março de 2010 às 11:06

Bom, na verdade eu não me estava a propor. Tenho que ser franca. O meu pai sempre dizia isto (não sei se é da cabeça dele ou ouviu em algum lado): oferecer é uma delicadeza e aceitar é uma estupidez. Lol.
Cat2007 a 11 de Março de 2010 às 10:39

hmmm
Eu não tive esse estilo de educação.
Talvez a familia do meu pai em tempos que desconheço fosse assim. Mas a familia da minha mãe, (novos ricos de fins de seculo XIX inicio de seculo XX) só ofereciam aquilo que de facto estavam dispostos a fazer/dar, com a maior sinceridade. Eu também funciono assim. Só ofereço quando de facto quero e sinto. Sou um bocadinho básica nesses aspectos.
sara a 11 de Março de 2010 às 10:52

Ok. Então desculpa. Não te queria ter iludido.
Cat2007 a 11 de Março de 2010 às 12:30

Não tens nada que pedir desculpa. Não me iludiste.
Beijocas
sara a 11 de Março de 2010 às 12:36

Mas eu alguma vez poderia pensar que te iludi? Só tu mesmo. Ah! Sucessos no Algarve, please.
Cat2007 a 12 de Março de 2010 às 09:53

EStou com PMS again.
Tens de me dar um desconto muito maior que o normal, nestas semanas.
Tendo sempre para complicar muitissimo mais do que é meu normal e a luta com as borbulhas é exasperante.
Obrigada
sara a 12 de Março de 2010 às 10:27

Está bem. Eu dou-te um desconto.
Cat2007 a 16 de Março de 2010 às 13:46

Não tens mesmo nada que pedir desculpa.
Aliás tens sido extremamente honesta. Absolutamente nada a apontar. Tu és de facto uma pessoa honesta e em quem eu actualmente confio, mesmo!
Aquilo de que se fala acima são questões sociais (formas de estar socialmente) em que fomos educadas de forma diferente e como consequencia agimos de forma diferente.
Não era uma critica, mas uma constatação.
sara a 11 de Março de 2010 às 13:30

E lá estamos nós. Eu na leve, tu na séria. Mas muito obrigada por reconheceres em mim coisas que qualquer pessoa de bem tem obrigatoriamente que ter. Beijos.
Cat2007 a 12 de Março de 2010 às 09:51

:S ò sua palonça, era suposto ser um elogio.
Mas se queres achar que não tens mérito nenhum e não vais além da tua obrigação.....
Além disso, eu não confio em todas as pessoas honestas que conheço ;)
Estroncia!!!
Beijocas
sara a 12 de Março de 2010 às 10:30

Vês, eu na te dizia? Não estou habituada aos elogios, é o que te digo.
Cat2007 a 16 de Março de 2010 às 13:48

Ontem fui informada que teria 15 dias de férias à força no Inicio de Abril.... estou a pensar que se calhar vou 5 diinhas à Holanda, aproveitar para fechar uns contractos e vêr uma possibilidade de agenciamento com uma companhia de lá! hmmmmm :D
sara a 12 de Março de 2010 às 10:55

Nem quero imaginar o que farias se a vida te corresse bem. Digo isto porque de momento corre mal, não é?
Cat2007 a 16 de Março de 2010 às 13:50

Não é dos piores momentos da minha vida... Já tive bem +piores... como ja me ouviste contar... muito piores.
Mas não é nitidamente dos melhores.
EStou equilibrada, tenho auto estima, objectivos e força. O que olhando para os meus ultimos 5 anos é excelente. Mas ainda ten ho muito para resolver a minha vida.
Já não devo ir à holanda.
Se a vida me corresse bem.... :D... Já estpou a imaaginar! :D
sara a 16 de Março de 2010 às 20:46

Olha também não estou na melhor fase. Nitidamente. A questão é: há fases na vida das pessoas ou há pessoas que têm fases na vida?
Cat2007 a 17 de Março de 2010 às 09:49

Acho que não é importante reflectir sobre o assunto.
Importante para mim hoje é que estou bem disposta e cheia de trabalho, com imensas possibilidades e perspectiva de as coisas começarem a concretizar-se. Depende de mim. O que já é uma grande coisa, porque qdo depende de outros e de factores externos e temos de esperar pode ser bem mais exasperante (é assim que se escreve?)
sara a 17 de Março de 2010 às 09:59

POis não é importante reflectir sobre o que eu disse e é importante o que disseste. Está bemescrita a palavra, sim
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 02:13

Mas a verdade é que não tenho muito que me queixar.
Aprendi MUUIIIIITO nos ultimos 5 anos e as coisas têm vindo a melhorar! Não tenho muito de que me queixar actualmente. Qdo estiver contigo vou nomear os pontos positivos e tenho a certeza que vais concordar comigo.
sara a 16 de Março de 2010 às 22:47

É importantissimo ver as coisas desse modo. Nem sempre sou assim, confesso.
Cat2007 a 17 de Março de 2010 às 09:46

Mais importante é sentir. E garanto-te que hoje estou a sentir as coisas dessa forma! :D
sara a 17 de Março de 2010 às 10:00

Ok
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 02:14

Achei que deverias estar a precisar de um bocadinho de animação:
http://www.youtube.com/watch?v=l1JzrDWt8dE
Beijocas
sara a 18 de Março de 2010 às 14:22

Agora não vou lá porque não quero ser animada. Quando quiser, verei e te direi. Beijos
Cat2007 a 23 de Março de 2010 às 02:19

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
Anónimo a 25 de Março de 2010 às 02:36

Posso saber o que é isto?
Cat2007 a 26 de Março de 2010 às 23:19

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
Sabia que fazia anos, tinham me dito, mas no meio ...
há "sinais" que não devemos negar :D
Se o tédio estiver instalado numa relação, então é...
o tédio pode estar na própria relação... ou não?
No entanto, de facto, não associei. Ninguém é infi...
achei graça foi associares a tua infidelidade ao t...
Já tinha saudades de ler o seu blogue.
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
27

28


blogs SAPO