CAFÉ EXPRESSO

Junho 10 2007

 

Em princípio, uma pessoa honesta é aquela que pauta as suas condutas de acordo com determinadas regras. Estas regras aplicam-se a todas as outras. Familiares ou terceiros. Conhecidos ou estranhos. Amigos ou inimigos. Existem somente um peso e uma medida. Uma pessoa honesta actua com transparência, fala com verdade e pensa com correcção. Ser honesto, em suma, é ser capaz de viver sem enganar os outros. Um pessoa honesta nunca tirar partido da boa fé, da ingenuidade ou, e muito menos, de uma posição de fragilidade alheia. As vantagens que se tiram da vida só podem ser os resultados das conquistas de cada um a partir dos seus actos meritórios, da solidariedade  do outro (embora, neste caso, o mérito próprio, em algum campo seja, igualmente, quase sempre a sua causa primeira) e, também, da sorte. Mais nada.

 

A lealdade também é uma regra de aplicação geral. E, ao contrário do que, eventualmente se pensa, não tem a referida aplicação geral apenas em termos potenciais . É certo que ela é devida por alguém para com  determinado individuo ou individuos. No entanto, à partida, e em primeiro lugar, qualquer um de nós tem o dever de se predispor para ser leal em relação a qualquer um. Por outro lado, mas no mesmo sentido, a lealdade é algo que tem de ser conquistado pelo beneficiário. Depende dos relacionamentos entre as pessoas, surgindo em determinadas circunstâncias da vida. Porém, e por isso, a lealdade, ao contrário da honestidade, é de diferentes tipos, conforme o género de relação que se estabelece entre os sujeitos. Na verdade, nós devemos lealdade à mãe, ao pai, ao irmão, à irmã, ao porteiro, ao vizinho, ao colega de trabalho, ao chefe, ao subordinado, ao nosso animal de estimação, ao clube do coração, ao país. É proibido trair a confiança depositada em nós. Seja por que razão for, independentemente das circunstâncias.

 

Ser solidário é estar aberto para as necessidades, desejos, alegrias, expectativas , dores, sorrisos, medos, forças e fraquezas dos outros (de todos), agindo com respeito pela sua individualidade. Não é ser bombeiro. Soldado da paz, sempre de mangueira em riste pronto para apagar qualquer fogo. É que há fogos que são para arder porque a vida assim concebe e faz todo o sentido. Não passa pela cabeça de ninguém, por exemplo, capturar todas as leoas da Savana a fim de evitar que elas predem os animais desprovidos de presas. Existe uma lei natural que comanda o instinto leonino. Há uma lei social de força idêntica que decide dos fogos que não são para apagar. De resto, os bombeiros a sério só papagam os fogos que têm que apagar. Neste sentido eles são solidários. No entanto, olhando as coisas do prisma eminentemente factual, até podem não o ser. Se o sentido com que actuam for apenas o sentido do dever. Do cumprimento de um dever profissional (quer se trate de bombeiros sapadores ou de bombeiros voluntários). O que importa, na verdade é o sentimento universalista de solidariedade que tem de estar dentro de cada um de nós. A nossa solidariedade deve estar pronta a servir a todos e deve ser capaz de ser  humilde para aguardar um sinal. Não é bonito andarmos a ajudar quem não deseja a nossa ajuda. Na verdade, parece mal. Até parece que queremos qualquer coisa. Talvez uma medalha?

 

Um ser  honesto, leal e solidário é, para mim, um ser perfeito. No mais, nenhum outro defeito me incomoda. Gosto de pessoas cheias de defeitos que são honestas leais e solidárias. São perfeitas. Não mentem, não enganam, não roubam, não se põem de costas, não nos encharcam a cara com uma mangueirada enquanto estamos a dormir ou apenas distraídos. Em princípio uma pessoa assim tem respeito por nós. E, o melhor, tem respeito por todos. Conhece o sentido do sentido da palavra liberdade e também daquela que se chama fé. Uma pessoa destas ajuda-nos a viver porque nos ajuda. E ensina-nos a crescer

porque se dipõe a ser ajudada.

  

 Não nos equivoquemos, a vida tem um sentido que é formado por todos os sentidos que têm os pedaços da nossa vida, em relação aos quais lho conseguimos dar. O sentido da  vida é um somatório de todos estes sentidos, cuja soma apresenta um resultado  maior que a adição de cada um deles aos outros. Pode ser uma  Luz. Um pedaço de transcendência . Uma gota da Verdade. Uma participação sentida no Algo que é Divino. O Bem. Ou o Poder que importa. Deve ser uma, ou todas, destas coisas boas que nos falta.

 

Talvez por acreditar assim me sinta a lutar constantemente. Comigo. Mas isso não é o pior. O pior é a raiva que me dá a cegueira leitosa de alguns indignos de serem comparados às leoas na Savana, que matam para comer e para dar de comer. Quem dera à maioria de nós poder gozar do orgulho das leoas viventes fora de cativeiro! Quem nos dera desempenhar a nossa função na natureza, no meio em que vivemos, com coragem e competência permanentes!

 

Sem querer comparar-me com elas, mas comparando de facto (numa declaração de total falta de humildade, da qual me penitencio humildemente), quando me encontro com gente a quem falta algum dos pedaços essenciais de humanidade (seja a honestidade, seja a lealdade, seja a solidariedade), sinto a mesma fúria instintiva que uma leoa ameaçada, e só me apetece saltar para a jugular do agressor. Não é matar para comer. É liquidar por conta do instinto de preservação.

  

Como é que a consciência de Roskolnikov não afecta certas pessoas? Percebo-as tão mal como julgo  compreendê-lo bem. Não faz sentido o crime sem castigo. O acto universalmente desvalioso deve ser punido. E se outros meios não funcionam, que seja a nossa consciência a conduzir-nos à Sibéria. Se assim não for, a nossa vida está perdida porque não poderemos aceitar e sentir  sinceramente o AMOR. Como no fim do livro.

 

 

publicado por Cat2007 às 01:09
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

lucida..
Raquel a 13 de Maio de 2010 às 11:35

AH! No meio de tantas limitações e dificuldades que tenho, a lucidez é mesmo uma daquelas qualidades que nunca me abandonou. Agora, se isso é bom ou mau, mesmo afirmando que é uma qualidade, não sei.
Cat2007 a 13 de Maio de 2010 às 15:33

É muito bom
=)
Raquel a 13 de Maio de 2010 às 15:53

Mas, por vezes, faz-me ver coisas que me magoam. Beijos.
Cat2007 a 13 de Maio de 2010 às 21:10

Faz parte..
Raquel a 13 de Maio de 2010 às 21:45

da vida, claro.
Cat2007 a 14 de Maio de 2010 às 14:41

Gosto do teu blog! Está mto bem conseguido.
Raquel a 13 de Maio de 2010 às 21:52

Fico tão vaidosa, que até é ridiculo. Lol. Obrigada!
Cat2007 a 14 de Maio de 2010 às 14:43

Vida com amor!!! é do me melhor que há.
Raquel a 31 de Julho de 2010 às 03:54

Vida a contar com a existência dos outros.
Cat2007 a 2 de Agosto de 2010 às 10:29

Não sei se leste o Crime e Castigo por isso tomo a liberdade de informar que o personagem apenas se permite viver o amor que sente por uma mulher (Sonja) quando acaba de cumprir a pena na Sibéria à foi condenado por ter morto duas pessoas. Love you
Car a 2 de Agosto de 2010 às 01:27

Não sei se leste o Crime e Castigo por isso tomo a liberdade de informar que o personagem apenas se permite viver o amor que sente por uma mulher (Sonja) quando acaba de cumprir a pena na Sibéria à foi condenado por ter morto duas pessoas. Love you
Car a 2 de Agosto de 2010 às 01:27

Olá Catarina,

Li o seu texto , sem ser citado e não gostei... no FB e num blog. Acho isso muito desonesto ;)
http://ailusaodosentidos.blogspot.com/2011/10/ser-humano.html?spref=fb
FB: Orlando Leite

Cumprimentos e gostei de a ler... continue.
Ester a 27 de Outubro de 2011 às 15:47


Ester, agradeço-lhe imenso. Fui ver. Parece-me um abuso. Não compreendo estas coisas, com franqueza. Mais uma vez, muito obrigada pela solidariedade. Também pelas suas palavras.
Cat2007 a 27 de Outubro de 2011 às 16:25

o senhor pode sempre argumentar que no final do texto coloca "De Café Expresso" o que para o efeito e sem ser linkado não adianta grande coisa, sobretudo a desprevenidos.
mas o que sobra para dizer, desde que tudo esteja acertado, é que pelos vistos alguém queria muito ter escrito este texto, caramba que nem tudo é vergonhoso.
Catarina a 27 de Outubro de 2011 às 16:31

Pois. Muito bem observado. Thanks.
Cat2007 a 27 de Outubro de 2011 às 16:36

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
Já tinha saudades de ler o seu blogue.
Ok. Obrigada, querida.
Tu também!Envio te o número por FCP para o caso de...
Muito obrigada, Bruno.
Gostei do post.Não os lia faz algum tempo, já tinh...
Também estás na terapia. Ainda bem. Mas podemos se...
Ora, são as agressões.
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Junho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22

24
25
26
28
29
30


blogs SAPO