CAFÉ EXPRESSO

Agosto 17 2012

 

Não me iludo. Se me esqueço frequentemente de pôr creme nas mãos é porque não olho para as mãos das pessoas. Tenho ideia de que já ouvi muita gente dizer que as mãos são muito importantes, ou o que mais lhes atrai nos outros (assim como se fossem olhos) ou qualquer outra coisa assim do género. No dia em que achar as minhas mãos feias ou estragadas ponho o bendito creme e pronto. Até lá não quero sentir aquela impressão escorregadia que até parece que é nos pés. Não gosto e não me dá jeito nenhum. Preciso muito das mãos para tudo e para nada. Porque nunca as páro quietas. Assim, é melhor que estejam secas para não andar a brincar com o atrito. Não posso perder o atrito nas mãos. Evidentemente.

 

Por outro lado, uma coisa para onde olho imenso é para os rabos. E fico chocada se forem descaidos. A imagem de perfil, frente ou costas de um homem ou de uma mulher depende totalmente da firmeza de um rabo. É que a sua ausência denuncia-se de qualquer ângulo de visão. Intimamente não perdoo um traseiro flácido a ninguém. E não quero saber da idade (ele há métodos para resolver o problema). É por isso que passo diariamente  as mãos no meu para ver se continua firme. E faço-o sempre com um expetativa ansiosa. Desde sempre.

 

Pois toda esta conversa tem a ver com a timidez. Como se sabe,  a timidez concretiza-se numa certa sensação de embaraço que ocorre quando estamos na presença de estranhos ou ao pé de menos estranhos mas com quem não temos muita confiança. No meu caso,na minha timidez, o embaraço tem a ver com a ideia de que os meus interlocutores possam estar a fazer de mim. Juízos de valor sobre a minha aparência física e psicológica.

 

Por vezes, fico tão à rasca que digo coisas absurdas ou confusas só para ver se os distraio. O que só me angustia ainda mais. Um inferno. Se não tivesse esta mania exagerada de me pôr intimamente a criticar os outros, o meu grau de timidez não seria o que é.

 

Resta-me ir descansando o que posso sentada em frente ao espelho sobre o meu rabo firme enquanto admiro meu nariz pequeno praticamente perfeito. 

 

 

 

publicado por Cat2007 às 18:27
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

achas que dada a tua Intolerância com rabos flácidos e eu vir aqui dizer Fériaaaaaas! Bora! dá para concluir que tenho um bom rabo? na medida em que se assim não fosse, tu não me toleravas nas Fériaaaaaaas! achas que "as pessoas" podem ajuizar-me um rabo fixe? quem são as pessoas? somos nós as duas, as usual.

és silly. vou ter contigo. levo nivea.
Catarina a 17 de Agosto de 2012 às 18:53

As usual.
Cat2007 a 17 de Agosto de 2012 às 18:58

O meu esta flacido e a descair.... a idade não perdoa... vais-me banir do blog?
Sara a 17 de Agosto de 2012 às 22:39

Vou-te obrigar a fazer 100 agachamentos dia sim dia não.
Cat a 20 de Agosto de 2012 às 11:18


Bom.... nunca fiz agachamentos assim a seco... so nas aulas de yoga ou com máquinas. Depois explicas-me isso.
Sara a 20 de Agosto de 2012 às 14:07

Pegas numa barra com um peso de 10kg de cada lado. Depois finges que te vais sentar numa cadeira imaginária e em seguida sobes. :)
Cat a 21 de Agosto de 2012 às 13:49


Ora, ai está... barra com peso de 10 kg de cada lado não existe, nem nunca existira ca em casa!
e 100 só se fosse para eu não me mexer durante uma semana!
Acho que vais continuar a ter uma comentadora de blog com traseiro flacido! Isso concerteza não te vai afectar visualmente.
Sara a 21 de Agosto de 2012 às 16:26

Olá... Hoje estou aqui simplesmente porque me apetece escrever... estou com uma grande ... e apetece-me escrever.
Tem a ver com timidez, mas também não. Tem a ver com uma sensação de mudança versus resistência.... e tem piada dizer isto porque eu sempre fui o furacão da mudança e agora... tenho dificuldade em libertar-me dos tossezinha rotineiros que criei... tenho medo de os deixar... uma certa timidez à cerca da coisa... eu quero mas não sei como o fazer. Não quero fazer como antes... como no meu passado... quero ser mais serena... mais pausada... pesar melhor as coisas. Não que não pesasse antes. Eu pesava e muito, mas as respostas eram essencialmente emocionais, com um inteiro backup de dialéctica por trás. (isto agora tem corrector!!!! que fabuloso!!).
Agora, há receio. Há prudência. Tenho medo que seja demais. Tenho de conseguir a medida certa o equilíbrio, ou simplesmente cagar para ele. Porque a verdade é que eu já não sou quem fui um dia.
Mais do que traseiros duros eu gosto de mãos. Sempre achei que as mãos eram um espelho daquilo que a pessoa é na realidade... e de certa forma é... mas também descobri mãos que funcionam como engodos, como armas enganosas de cativação. Como tudo. Um traseiro não me faz o cérebro ir para além do básico e do físico, mas as mãos fazem... de longe!
Tenho andado a aprender a detectar engodos. Tenho andado a aprender a esperar. tenho andado a aprender a observar, a proteger-me... de uma forma mais discreta (mas não menos directa... não há solução para essa parte). Mas isso não se pode tornar num entrave. Tem de ser apenas mais ferramenta, que deve ser usada com conta e medida. Tenho muito para aprender. muitos passos para dar... um grande caminho a percorrer...:)


Desculpa o devaneio absolutamente despropositado... mas apetecia-me, dizer a alguém o indizível.
Night, night!!
Sara a 25 de Agosto de 2012 às 04:48

Sara, em primeiro lugar dizer que adoro pessoas qe têm a capacidade de vir aqui para o me blog "devanear" como tu fazes (e já agora mais ninguém, até ao momento).
Sobre o teu conteúdo, também sou um bocado assim, sabes? Chama-se freak control. Ao que consta, não está certo. Ou não é o melhor para nós. Como se sabe, nada é pensado antes de ser sentido. Qualquer resposta racional é o resultado do que pensamos sobre as nossas emoções. Uma decisão não é pensada é antes de mais sentida. E não há nada a fazer. De qualqer modo, seria ma estupidez e uma falta de educação dizer-te: "não penses tanto". Pensa, pensa. E tenta a melhor decisão. A melhor forma de ser e estar. Talvez esse seja mesmo o processo de conseguir alterar as emoções.Ou parte dele. Não sei. Como te disse,também sou assim.
Cat2007 a 27 de Agosto de 2012 às 18:16

percebeste alguma coisa?!!!!

Qdo escrevi "tossezinha rotineiros", na realidade queria dizer habitozinhos rotineiros.... mas estava com tosse na altura, e muito pedrada.... foi um ato falhado!!! (na realidade não... eu achei que sim, mas não!!! Ora explica-me lá porque é que esta gaita deste corrector, qdo corrige a palavra habitozinhos, põe tossezinha??!!!) 


E eu que quando comecei a ler achei que vinhas dizer que adoravas pessoas que têm a capacidade de admitir em público que têm traseiros flácidos e descaídos....
Sara a 27 de Agosto de 2012 às 23:01


Achei que "tossezinha rotineira" era uma metáfora usada voluntariamente. Até porque ficou bem. Estás em Lisboa?
Cat2007 a 28 de Agosto de 2012 às 10:00

Sim, estou.
Sara a 28 de Agosto de 2012 às 10:25


Então é desta, se estiveres de acordo.
Cat2007 a 28 de Agosto de 2012 às 11:47

Sim. A resposta é a mesma. 
Sara a 28 de Agosto de 2012 às 12:02


Ok. I call you.
Cat2007 a 28 de Agosto de 2012 às 17:26

Sara a 29 de Agosto de 2012 às 03:30

Bom, já que não te importas e já que hoje a sonia me visitou e não me deixa dormir, vou continuar o tema!!
Acho que tens razão todo esse controlo não é o melhor. De repente virei demasiado cautelosa e medrosa, logo eu que sou essencialmente emocional. E nunca tinha deixado de fazer nada na vida, porque o pior para mim seria chegar ao fim e pensar que não tinha tentado. Esse era o meu maior medo.
Actualmente o medo da doer, da escuridão, pela qual já passei deixa-me congelada... e sabes nem tenho razões para isso, pois mesmo nos momentos de escuridão, desorientação e confusão me aconteceram coisas fabulosas. E é a essas coisa que preciso de me agarrar, para avançar.

Estou a precisar de me deixar de merdas e simplesmente me atirar. Estou um tanto ou quanto farta de tanta cautela, de tanto matutar sobre tudo e sobre nada. É verdade que me ajuda a mudar padrões, mas há limites para a coisa!! Sta paciência!!
Tu pensas muito, mas nunca deixas de fazer aquilo que sentes, por causa daquilo que pensas... adias no máximo. Mas de pois vais fazer, vais atrás, corres e apanhas. Eu acho.... mas posso estar completamente errada... não sei.
Sara a 29 de Agosto de 2012 às 03:40


É verdade que faço as coisas. Mas como penso demais também fico travada. Se há uma coisa que é absolutamente ve4rdade sobre mim é que quando meto ação sem pensar os meus níveis de ansiedade sobrem. E disso eu tenho medo.
Cat2007 a 30 de Agosto de 2012 às 16:11

Porquê?
Sara a 30 de Agosto de 2012 às 23:05

Porque tenho medo?
Cat2007 a 31 de Agosto de 2012 às 10:06

Sim. E porque é que os teus niveis de ansiedade sobem.

Podes responder apenas a uma das questões ou às duas.... conforme fizer mais sentido. 

(obviamente, não tens de responder a nada)
Sara a 31 de Agosto de 2012 às 10:44

A ansiedade sobe se uma pessoa tenta deixar de controlar. É simples.
Cat2007 a 31 de Agosto de 2012 às 18:33

Só se for para ti.... a mim não me parece assim tão simples... ;)
Bjocas
Sara a 31 de Agosto de 2012 às 22:37

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
Também não acredito nisso...se é que alguma vez ac...
Com muita calma e paciência tudo se começa! 
Mas a questão é que, antes de se preocuparem com o...
yah, a quantidade de construções emocionais que nã...
Sabia que fazia anos, tinham me dito, mas no meio ...
há "sinais" que não devemos negar :D
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
18

19
20
21
22
23
24
25

26
28
29
30


blogs SAPO