CAFÉ EXPRESSO

Maio 16 2014

 

Uma vez perguntei: "Sentes paixão por mim?". E ouvi a resposta. "Neste momento não sinto paixão nem pela vida". Se fosse verdade. Isso da falta de paixão pela vida, eu haveria de conseguir suster aquele golpe fino que me atravessou o peito.  Mas não era. Havia muitos risos e contentamentos com uma loirinha. Havia ali pelo menos uma atração. Deixei-me cair sobre o sitio onde era suposto sentar-me. Tal a força da impostorice. Mal consegui levantar a cabeça deparei-me com uns olhos azuis bonitos que estavam a fixar-me. Pensei: "É que é para já". E foi.

 

Passe a mentira que me passaram, é verdade que existem momentos em que não há paixão pela vida. É quando o trabalho não nos interessa. É quando não nos apetece ir à praia num dia bonito de calor. É quando a solidão nos toma pelos cornos. E a comida não tem o devido sabor. É quando a ansiedade nos apanha por causa destas coisas - a ansiedade provoca uma sensação semelhante ao medo. E de repente uma pessoa sente medo sem saber de quê. O que por seu turno aumenta a ansiedade.

 

O amor não ajuda a partir este ciclo vicioso. O amor é principal o link com o nosso exterior. Na verdade, quase tudo o que temos no momento. Não é possível deixar de amar enquanto se sofre assim. Já passei por isso. Por isso sei muito bem. Entretanto, tendo o amor como certo, o que nos ajuda a voltar a sair para a vida é o organismo. O tempo sobre o organismo. A agir. E depois é tão bom viver o amor misturado com tudo o resto que ressurge. 

 

Portanto, quando nos dizem que não nos amam porque não amam a vida, é porque não nos amam de facto.

 

Há relações irrepetíveis. Para mim aquelas que eram bem escusadas. O conceito de irrepetível contém em  si o elemento fim. Cheira a passado sem magia verdadeira. Só é irrepetível o que acabou. E o que acabou não tem qualidade. Não é único. Porém, não quero renegar vivências felizes. Nem as causas das coisas. As causas para as coisas terminarem. Há histórias que são para ser vividas por um determinado período de tempo. Algumas são boas. Por isso são repetíveis. Podemos viver muitas histórias destas. Boas. O que não interessa é querer repetir histórias irrepetíveis. Vivências amorosas  no meio das quais a outra pessoa nos diz: "eu não estou apaixonada pela vida e por isso não estou por ti". No fundo, não se devem repetir mentiras. 

 

 

 

publicado por Cat2007 às 19:47
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

"Há relações irrepetíveis. Para mim aquelas que eram bem escusadas."



perspicazsagazespertojudiciosoargutosensato acute sagacious clear


Catarina a 18 de Maio de 2014 às 15:37

<3 <3 <3

Porque em numero par dá azar.
Anonima a 14 de Maio de 2016 às 00:38

Assim estou muito curiosa :)
Cat2007 a 14 de Maio de 2016 às 10:50

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
achei graça foi associares a tua infidelidade ao t...
Já tinha saudades de ler o seu blogue.
Ok. Obrigada, querida.
Tu também!Envio te o número por FCP para o caso de...
Muito obrigada, Bruno.
Gostei do post.Não os lia faz algum tempo, já tinh...
Também estás na terapia. Ainda bem. Mas podemos se...
posts recentes

COISAS QUE ABORRECEM

ALVO EM MOVIMENTO

HOJE ACORDEI A UM QUARTO ...

A LEI DO DESEJO

DAQUI A NADA VOU PARA A P...

ARREPENDIMENTO

HUMILDADE

A FELICIDADE É UM PONTO D...

PAGAR PELOS ERROS

CIÚMES

Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Tags

todas as tags

subscrever feeds
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


links
blogs SAPO