CAFÉ EXPRESSO

Agosto 22 2017

Resultado de imagem para gerês cascatas

 

Há quem viva com medo. Medos, melhor dizendo. Conheci uma pessoa que tinha terror de baratas. Hoje lembrei-me de cobras. Do medo que tenho de cobras. Tenho tanto medo de cobras que, só para me castigar, sempre que ia ao zoo, visitava demoradamente o reptilário. A sensação vinha na forma de um tremor ligeiro nos membros e um friozinho na barriga.

 

Ontem subi o Gerês. Não deixa de ser um bocadinho assustador. Uma pessoa vai galgando aquelas curvas e parece que está a ser engolida por aquela densa vegetação. A certa altura a impressão é de que estamos irremediavelmente longe e tudo. A sorte é que há sempre gente a passar para nos lembrar que não. Procurei a cascata que tem um nome assinalado. Lá chegada a cascata estava seca. Não fiquei desiludida. De qualquer forma não iria nadar. Estava muita gente lá no topo. E eu, que tenho medo de cobras, prefiro não estar ao pé das pessoas se são muitas. Aquela energia de peregrino motorizado das pessoas irrita-me. Além disso, esta gente adora estar junta. Não se conhecem mas querem estar uns em cima dos outros. Fizeram-se poças na cascata seca. E lá estavam eles amontoados, ignorando-se, incomodando-se  em volta delas e em cima das pedras. Também havia comida. As pessoas comiam despudoradamente.

 

No outro dia fui a uma piscina natural. Não estava ninguém para além de nós. Mas depois apareceu um treinador de cães pastores num jipe. Eram pastores alemães. O meu cão ficou irritadíssimo. O que é sempre uma maçada. Ele acredita que pode matar qualquer cão, albergando no peito esse desejo intimo e permanente. Depois o homem lá se foi embora. Se não fosse, não tinha ido à água. Ele meteu lá um cão enorme. Tipo isto aqui é tudo nosso. Depois de ele sair, a água estava um gelo. Sei porque fui mesmo lá para dentro. Só consegui dar dois mergulhos e não consegui evitar os respetivos gritos de dor quando vinha à tona.

 

Voltando ao assunto de Gerês, afirmo que não vale a pena andar lá de cavalo. Vê-se o mesmo que de carro e anda-se exatamente pelo mesmo sitio. A estrada encurvada. Também, aquilo é só escarpas e precipícios. Uma pessoa não se pode aventurar muito. Lembrei-me de que podem haver cobras no Gerês. É muito natural. Pensei que não gostaria nada de ter um encontro desses. Tenho medo de ser mordida e que a cobra, além do mais, se enrole nas minhas pernas.

 

Face a tudo isto é verdade que podia ter tido um ataque de agorafobia. Um a coisa que sucede quando a natureza é forte e a vida parece que, contraditoriamente, anda escondida. Mas não. Adorei ter subido o Gerês.

 

publicado por Cat2007 às 18:21
 O que é? |  O que é? | favorito
Tags:

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
Viver é respirar, de acordo. E continuo a insistir...
É verdade, a coragem é uma das coisas mais importa...
Também não acredito nisso...se é que alguma vez ac...
Com muita calma e paciência tudo se começa! 
Mas a questão é que, antes de se preocuparem com o...
yah, a quantidade de construções emocionais que nã...
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
24

27
28
30
31


blogs SAPO