CAFÉ EXPRESSO

Outubro 21 2013

 

 

Quando se está com a cabeça pouco viva é mais difícil escrever. É claro que não é a cabeça que abranda. São as emoções que se desajeitam. As emoções são muito poderosas e é por isso que, uma vez, desajeitadas se enrolam e se sobrepõem umas às outras formando um grande nó.

 

Quando há nós é uma chatice. Uma pessoa quer puxar pela linha e ela para inapelavelmente num certo ponto. Temos que parar nós também para ficar ali a desenrolar aquilo. Assim sucede também com as emoções.

 

Esta semana no Expresso o Padre Tolentino Miranda escreveu sobre o perdão. O texto dele andava à volta da necessidade de perdoar para nosso próprio bem, entendendo que quem nos fez mal tem muitas atenuantes.  As suas fraquezas. Como nós temos. O texto era ótimo mas sem novidades.

 

Eu acredito no perdão que vem com o tempo. Com o tempo, as nossas emoções vão-se alterando e a nossa versão da realidade vai sendo mudada. Com o tempo é natural e humano acabar por perdoar. Com o tempo, perdoar não dá muito trabalho. No fundo este é o perdão do Padre Tolentino. Deve ser este, quero dizer. Teria que reler o seu texto agora para me certificar.

 

Não há nada melhor do que uma boa música e pouca gente num sítio onde quem nos serve seja invisível.  Eu cá, não tenho ouvido música nenhuma. É claro que a música do rádio ou da aparelhagem do vizinho não conta. Repito, portanto, que não tenho ouvido música nenhuma. Eu gosto do jazz dos meus discos.

 

publicado por Cat2007 às 18:12
Tags:

A saudade que eu já tinha destes post-IT's...


http://www.youtube.com/watch?v=IZTGD4KFirQ&feature=share&list=PLWjuGhja6ibkjQF6O0EZs-C7ODjUG5Dzi


Tens prá troca??


FM
Fernando a 21 de Outubro de 2013 às 20:31

Obrigada. ImageNão tenho para a troca porque, é como disse. Não tenho ouvido o jazz dos meus discos.
Cat2007 a 22 de Outubro de 2013 às 11:22


É curioso comentar a Revista, pensei que esse não fosse o seu pitéu.
Ainda estou a pensar na coluna da semana passada, trouxe-me um guilty pleasure.
Uma saborosa fatia de romântica que ainda estou para encontrar.
Bruno a 21 de Outubro de 2013 às 21:08

Quando me vem à cabeça comento a Revista. Por acaso não li o Tolentino na semana passada. Agora tenho pena.
Cat2007 a 22 de Outubro de 2013 às 11:24


Resumindo fala de gostos e variedades nessa procura do que satisfaz o palato.
Bruno a 22 de Outubro de 2013 às 13:30


Talvez seja assim.
Cat2007 a 23 de Outubro de 2013 às 17:29

Creio que até o autor conclúi que a palavra não mata a fome.
Bruno a 23 de Outubro de 2013 às 22:22

Conclui com certeza :)
Cat2007 a 24 de Outubro de 2013 às 17:06

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
Sim, de acordo. Algumas pessoas não querem ser dif...
Muitas vezes associamos a busca da novidade à adol...
Ainda tens o prazer de sintetizar fumo pelos pulmõ...
Adoro ver-te no sofá
“Mesmo no mais alto trono do Mundo, estamos semp...
Identifico me bastante. Quando gosto de fazer algo...
Gostei, esta bem explicado.
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
25
26

27
28
29
30
31


blogs SAPO