Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

EU QUERIA JOGAR AO SPIDER, MAS TENHO MEDO


Cat2007

06.01.09

 

                                                                                Mini solittaire

 

 

Abri o Laptop para ir jogar ao "Solitário Spider". Em primeiro lugar, porque sou mesmo uma espécie de aranha solitária. Solitária porque não conto a ninguém sobre a verdade dos meus medos. Aranha porque o nome do jogo é assim. Spider. Já agora, gosto do Spider Man. E, de resto, de todos os heróis da Marvel.

 

Porém, não. Não fui ao jogo. Preferi vir ao blog. Como se viesse a jogo. Vim, como se vê, fazer trocadilhos. Estou mal disposta. Mas não se pense que é por causa do carro. Não. Deixá-lo estar na oficina. Estou mal disposta porque não consigo tomar conta de mim própria. Só por isto. Ou, talvez, porque considero que não consigo tomar conta de mim própria, embora consiga e não perceba. O que é suficiente, ainda assim, para me deixar neste estado.

 

Em princípio, e em termos gerais, o medo é f... porque não se consegue fazer nada de jeito na vida por causa dele. Eu tenho um medo de sentido abstracto. Portanto, tenho medo de mim mesma. Nunca soube como agir antes. Quero dizer, nunca soube prever os meus comportamentos perante as situações. Por isso tenho medo do que virá. Do que não conheço. A propósito, a informação técnica sobre o Qren valeu-me as devidas superiores concordâncias. Como é evidente, a primeira versão estava óptima. Não era preciso mandar a terceira. Mas foi a terceira que eu mandei. E que foi aprovada. E que estava pior do que a primeira. Portanto, só agora tenho a certeza que a primeira é que devia ter ido. Portanto, não há saco para mim.

 

Pois é. O medo. A minha querida amiga Filipa C L gosta muito de abrir os seus grandes olhos azuis para me esfregar isso na cara. Que eu morro de medo. Pois é verdade! E que posso eu fazer? Ela diz-mo como se eu pudesse fazer alguma coisa. Fala-me de todas as minhas grandes qualidades. Que ela vê, mas eu não. Eu acho, realmente, que ela está enganada. Perante as coisas, vejo-me incapaz. Mesmo que as faça bem, não fui eu quem fez.

 

A propósito, como vou eu fazer bem a dissertação da tese? Nas duas últimas semanas fartaram-se de sair diplomas que interessam. Tenho tanto medo que li o último e não percebi nada. Depois perguntaram-me uma opinião sobre o mesmo, e pareceu-me que talvez tenha percebido. Ainda não sei. Neste preciso momento, devia estar a ler umas coisas do Peters, mas estou aqui a escrever sobre este medo que não me larga.

 

No dia 27 vou ser operada à garganta. Tenho que extrair um quisto (benigno).  Ainda não percebi se estou com medo. Disto. Da operação. Não percebi porque não sou eu quem vai operar, mas o médico. De outro modo, era óbvio. Por outro lado, devo estar com medo. Porque, como disse, tenho medo de mim mesma. Portanto... enfim, não vale a pena continuar nesta linha de raciocínio.

 

Se tivesse fé, não tinha medo. Isto é óbvio para qualquer pessoa. O meu drama consiste em ter sido educada segundo as tradições da fé católica. O catolicismo, com as suas crenças e práticas tão inconsistentes roubou-me a fé. E, agora, não tendo mais nada em que acreditar, se eu  não acredito em mim mesma, o que vou fazer?

 

Estou para aqui a dizer coisas. A escrever coisas. Mas isto não resolve. Tenho que ir falar com o meu medo. Percebê-lo. Ser compreensiva com ele. Respeitá-lo. Pode ser que assim ele me trate bem e me dê bons conselhos. Aposto que sim. Que dará.

 

Parei aqui. Voltei atrás. Li tudo o que escrevi. Sinto agora menos medo. Já estou mais confiante. Não sei porquê.

 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Cat2007 12.01.2009

    Eu conheço o Demolidor, Dare Devil. É o meu Marvel favorito. Lanchar? Como, se nem pertencemos à mesma aventura?
  • Sem imagem de perfil

    daredevil 12.01.2009

    Tem toda a razão!!! Como pude ser tão idiota.
    Vou já dizer ao Director criativo para desenhar a Catwoman a rodar a baiana porque a convidei para lanchar. (“To Thicken the plot” pois já percebi que não se relaciona com ciúmes… Isto é só para justificar à Produção, a nossa aventura em conjunto.)
    De seguida, vou pedir ao Lanterna verde para criar a nossa sala de Chá em http://www.kununurratourism.com/en/default.htm a única maçada é que sairá tudo na cor verde, importa-se? (deixe lá, a Esperança, é sempre de bom tom.)
    Mais tarde peço ao meu grande amigo Thor, se nos dá Boleia de martelo, pois de “Nenúfar em nenúfar”, é capaz de ser a hora de jantar quando lá chegarmos.
    -E, isso é que não Spiderwoman; ‘Cause I would love to share the sunset in your marvellous company
    “Cup of tea, with thee.”
    Despeço-me num simples mortal empranchado à retaguarda, pois não quero de todo, dar nas vistas.

    Aguardando Murdockamente o seu comentário

    P.S. By the way soube que a minha "piquena" retirou-se para um convento tibetano...
    -My heart is a three of spades!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    stats

    What I Am

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Em destaque no SAPO Blogs
    pub