Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

QUERIDO DIÁRIO


Cat2007

16.05.11

 

 

Há imensos diários. Por exemplo, o Diário Económico, o Diário de Notícias, o Diário da República. E mais não me lembro agora. O certo é que todos os dias se escreve nestes diários. Por isso são diários. Neste caso jornais. Coisas para toda a gente ler. E do ponto de vista de quem edita, quantos mais leitores melhor. Por outro lado, existem os Diários pessoais. Nestes não se escreve todos os dias. Assim, em primeiro lugar, há que dizer que até talvez não seja correcto chamar-lhes Diários, mas Confessários.

 

Na verdade, a maior parte dos Diários não diários são íntimos e servem para confessar vergonhas. O sexo e a vergonha são rotina nas aspirações e vivências das rapariguinhas. Com efeito, as meninas que têm Diários usam-nos para escrever sobre as suas emoções e desejos. A maior parte dos quais, directa ou indirectamente, são de índole sexual. E incluem imensas questões relacionadas com a vaidade e o ego. Depois têm vergonha de contar estas coisas sufocantes às pessoas. Compreendo.

 

Sei tudo isto porque vi nos filmes e li nos livros. E também ouvi dizer. Embora seja certo que, por azar, nunca me veio parar um Diário à mão. Gostava muito de ler um. Ou só um bocadinho de um. Por uma questão sedimentação da cultura geral. E da bisbilhotice. Como é evidente. 

 

Acredito porém que os Confessários não são para ler. Ninguém os deve ler. Nem a sua autora. Imagino que cada página de ridículo que é escrita não deve ser revisitada. Digo ridículo porque tudo é escrito com um dramatismo suicidário e uma perenidade que, na maior parte dos casos, não vai além de uma semana. Tudo é único, importantíssimo e olvidável.

 

 Os rapazes não têm Diários. Os rapazes adoram juntar audiências em torno das aventuras sexuais que imaginam credíveis mas que não tiveram. Por outro lado, custa-lhes compreender que têm emoções. Por isso não escrevem sobre estes assuntos. Não precisam. Os rapazes são mais corajosos a mostrar a sua idiotice, portanto. 

 

Eu nunca tive um Diário. Isto é tão verdade como a mãe de uma amiga me ter dito, tinha eu 18 anos, o seguinte: “Eu nunca tive um orgasmo!”. Estava de olhos esbugalhados e o tom era cheio de fatalidades.

 

Não compreendi o objectivo daquela espécie de declaração final. Nem porque raio a mulher me tinha escolhido para aquilo. Por isso pensei em chamar um médico. E depois um padre. No entanto. Fiquei quieta. É tudo o que recordo. Penso que talvez a senhora devesse na altura ter escrito aquilo num Diário. Não sei com que utilidade. Mas sei que tinha sido poupada. Eu.

 

O problema é que as mulheres adultas não escrevem Diários. Ou escrevem? E os homens adultos não se gabam das mulheres que não comeram ou comeram mal. Ou gabam-se?

 

6 comentários

Comentar post

stats

What I Am

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.