Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

AS ÁRVORES MORREM...


Cat2007

07.07.11

Hoje faço anos. Vale a pena dizer quantos? Talvez. Sou Caranguejo. Não sei verdadeiramente o que isto significa. Mas há sempre quem ache que se esclarece uma série de coisas com este género de informação. Espero então que sim.

 

Hoje faço anos. Deveria começar a falar um pouco de mim. Em princípio. Creio que é o meu dia. Não é? Não. É o dia de toda a gente que está viva. E há muita gente que nasceu hoje. Na verdade, não gosto muito de falar directamente de mim. Porque não sei ao certo o que dizer.

 

Hoje faço anos. Por outro lado, é dia do funeral da Maria José Nogueira Pinto. Sinto muito a sua morte. Ontem o Ribeiro e Castro emocionou-me. Quando começou a falar dela e acabou com a voz embargada.

 

Maria José Nogueira Pinto era uma pessoa da política diferente para o limpo. Detestei as posições dela nas questões do aborto e do casamento gay, por exemplo. No entanto, a convicção e a coerência com que se bateu por elas fez-me sentir o mais sossegado respeito. Por outro lado, a saída de Maria José da subsecretaria de estado da cultura no tempo de Santana Lopes e do CDS pouco depois da chegada de Portas encheram-me de admiração. Entre outras coisas. Finalmente, como é possível ter aguentado de pé até ao fim? É um facto que as árvores morrem de pé, passe o cliché. Nogueira Pinto não merece clichés. Porém, é verdade que as árvores são essenciais. Designadamente por causa do oxigénio. Maria José Nogueira Pinto morreu. E vai faltar algum oxigénio na política portuguesa. E em mais alguns contextos, obviamente.

 

Ah, é verdade. Hoje faço anos. E? 

14 comentários

Comentar post

stats

What I Am

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub