Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

VELHACO OU DANÇARINO?


Cat2007

27.07.11

 
 

A sabedoria popular, quando expressa em máximas e chavões escritos ou reproduzidos em voz alta para alavancar os discursos, é qualquer coisa que em principio e logo à partida me causa um certo malestar. Porque tenho vergonha das pessoas que fazem isso. Antes de mais nada denota preguiça mental e ignorância. Depois, toda a gente sabe, quando se parte de uma premissa errada, conclui-se mal. Ora, más conclusões conduzem ao erro. E o erro, embora saudável enquanto instrumento de aprendizagem, é muitas vezes trágico quando praticado sem critério.

 

Já ouvi dizer que “a mulher quer-se pequenina como a sardinha” e que “homem pequenino ou é velhaco ou dançarino”. Nestes termos, as mulheres baixinhas são, com as devidas adaptações, para comer e, por exemplo, o António Vitorino do PS deve ser um velhaco dos piores, já que em princípio não dança.

 

A propósito do Vitorino, é certo que no congresso do partido, que reelegeu Sócrates antes das últimas legislativas, escapou por pouco de uma apoplexia no momento em que clamava todo sufocado ao “Zé” e que agora apoiou seguro, fazendo notar que afinal houve muitos erros na governação do anterior Prime Minister. Pergunta-se, isto é um sinal de velhacaria? Não sei bem. Há certas experiências da política que só com experiência da política é que podem ser bem entendidas. Eu não tenho.

 

Sobre comer mulheres, e passando ao lado da antropofágica sugestão desta frase, fica-me a questão de saber do sabor. Ou seja, sendo pequena uma mulher sabe melhor? Estou a pensar nas zonas do corpo que se podem provar, desde que se queira. A minha experiência diz-me que não. Melhor, diz-me que depende dos casos e não depende da altura. E os homens? Não conheço nenhum refrão popular para saborear. Embora talvez exista. De qualquer forma, o único namorado baixo que tive incomodava-me por ser mais baixo do que eu e não pelo sabor. Seja como for, agrada-me muito mais mulheres e homens que estejam acima de um certo patamar quando se olha para a fita métrica. Ou pelo menos que não estejam a baixo. Independentemente do sabor.

 

Ía continuar. Falaria sobre o complexo dos baixos. Homens e mulheres. Nota-se. Como é evidente, as frases supraditas não fazem sentido nenhum. Mas os homens e mulheres baixinhos são aparentemente e em geral uns agitados. O que me faz suspeitar da existência de complexos. Porém, existem excepções verdadeiramente agradáveis. Talvez volte ao assunto depois. Deixo apenas uma convicção. A altura é um estado mental.

 

8 comentários

Comentar post

stats

What I Am

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub