Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

CAFÉ EXPRESSO

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"

UMA RESOLUÇÃO DE ANO NOVO


Cat2007

01.01.22

 

Contagem Regressiva Para Meia-noite De 2022 Foto de Stock - Imagem de xmas,  dourado: 229567876

 

Dá ideia de que esta coisa de “partir” a vida por anos torna tudo mais fácil, na medida em que renovamos as nossas esperanças a cada início, como se o calendário tivesse poderes mágicos. Pessoalmente, não acredito nisso. Simplesmente porque não é verdade. A grande maioria dos factos instalados na nossa vida em 2021, e que também decorrem dos anos anteriores, vão continuar a ter as suas consequências em 2022, boas ou más, consoante os casos. E 2022 não tem culpa nenhuma disso. O dia 1 de janeiro é somente aquele que se segue ao dia 31 de dezembro.

Claramente, algumas coisas vão mudar, para melhor ou para pior, dentro deste novo ano. Mas isso é porque, no continuum da vida as coisas mudam sempre. Na verdade, porque nós fazemos, voluntaria ou involuntariamente, para que mudem ou, então, acontece a mudança por força das circunstâncias ou de acasos.

Não obstante, é bom renovarmos as nossas esperanças sobre os dias melhores que virão. E se o dia 1 de janeiro, por ser dia 1 de janeiro, nos motiva para tanto, vamos aproveitar os benefícios que uma certa atitude positiva e a inerente disposição para a proatividade nos podem aportar. Porque, enfim, além do mais, é fundamental dar algumas tréguas ao cansaço.

Devo dizer que hoje, dia 1 de janeiro de 2022, acordei com uma certa impressão de que estou infetada com a variante Ómicron. Não é por nada de especial, mas porque os números da COVID-19 são de tal maneira assustadores, que uma pessoa mal escapa a um certo estado de paranoia.

Assim, partindo desta ideia de que estou paranoica, e uma vez que é necessário preservar a saúde mental, vou procurar pensar que, na verdade, não estou infetada e dar o meu melhor para continuar a viver não decentemente, como a maior parte das pessoas tem feito desde que a pandemia se instalou. Trata-se de uma resolução para o Ano Novo.  

 

 

RESOLUÇÕES DE ANO NOVO


Cat2007

02.01.19

Resultado de imagem para resoluções de ano novo

 

Não há dúvida que a noite em que se faz a passagem de 31 para 1 é especial. Porque se volta atrás no calendário. Assim, é como se nos fosse conferida uma nova oportunidade. É por isso que fazemos resoluções de ano novo.

 

Sucede, porém, que os nossos contextos não se alteram, o nosso saco não esvazia e a nossa energia não se renova. E é por isso que a referidas resoluções, na sua maioria e com honrosas exceções, não são concretizáveis.

 

RESOLUÇÕES DE ANO NOVO


Cat2007

02.01.18

Resultado de imagem para ano novo 2018

 

Em todo o lado se ouve falar nas resoluções de ano novo. E sabemos que há imensa gente, talvez a maioria das pessoas, que se mete nisso. Deste modo, deixam de fumar, iniciam uma dieta, começam no ginásio… entre outras decisões mais sérias. Acho eu.

 

Bem, na verdade, não sei bem que tipo de resoluções tomam as pessoas nesta data. Não sei porque não me interessa ler sobre o assunto, não pergunto a ninguém e, fundamentalmente, não tenho o hábito de assumir resoluções para datas precisas.

 

Eu não tenho datas. Tenho momentos. O meu momento é quando estou de “saco cheio de mim mesma” porque tenho este ou aquele comportamento que se vai repetindo e eu não gosto. Sou de me repetir nas coisas erradas que faço. Na verdade, tenho uma certa tendência para a indolência. Assim, sou de me demorar nos meus comportamentos adversos. Claro que nunca podem ser coisas muito corrosivas ou comprometedoras, bem entendido. Porque desde há algum tempo que a minha autoestima anda bem colocada. Porém, em suma, são atitudes que não fazem bem ao físico ou à alma. Portanto, há sempre um dia em que me farto. E mudo tudo. Não costuma é acontecer em data especial de calendário.

 

Seja como for, em janeiro voltei a fumar cachimbo.

MENSAGEM DE ANO NOVO


Cat2007

31.12.08

 

 

 

Isto (transmitir uma mensagem de Ano Novo) é coisa que os chefes de estado, o Papa e demais líderes espirituais gostam de fazer nesta época. Eu, pelos vistos, também. Noto alguns aparentes tiques megalómanos  nisto? Não . Porque, designadamente não gostava de ser Papa.

 

Tenho para dizer (para começar a minha mensagem de Ano Novo, de cujo final não tenho ideia nenhuma neste momento preciso) que devia ser judicialmente inabilitada, sendo, da data da sentença em diante, assistida por um curador (que não fosse a minha mãe porque ela ainda é pior do que eu).

 

Basicamente, só faço disparates. Destrui o volante do motor do meu jipe (o volante do motor não é o motor. Trata-se de uma peça que os senhores da Rover dizem que é muito sensível nos Range Rover, e que é uma espécie de prato com molas)! Dizem-me que foi por desleixo com a caixa de velocidades. O que eu acho é que uma pessoa compra um jipe para poder ser desleixada à vontade. Eu adorava este jipe. Já não adoro. Estou farta dele! Dos chiliques, das sensibilidades, dar ordenzinhas do computador de bordo. ESTOU FARTA! Estou vencida. Vou vendê-lo (vá miss Lee. Ria-se! Agora já pode). Ou dá-lo. Não sei. VOU-ME LIVRAR DELE!

 

Portanto, a minha primeira manifestação para 2009 foi dirigida a um carro. Mais um facto fundamento para me inabilitarem já.

 

Basicamente, só faço disparates. Elaborei uma a informação sobre os Programas Operacionais de governação do Qren relacionada com incompatibilidades para o exercício de cargos públicos, cujo conteúdo era tão douto e hermético, que obrigava toda a gente a ler o vasto conjunto de diplomas que mencionei, mais as alterações e republicações. Como ninguém se queria afundar em nada disso, tive que reformular a coisa, e só à terceira é que ficou em português corrente. O problema aqui não está nas consequências, que são nulas. Está mesmo nesta minha mania de me vingar. O diploma do Qren, sobretudo, é um saco inacreditável onde eu tive de me meter até ao fundo. Assim, eu queria que todos sofressem mais do que eu. E isto irrita as pessoas, como é evidente. Tenho que parar de ser angelicalmente retorcida. Qualquer dia já não consigo enganar ninguém.

 

Portanto, a minha segunda manifestação para 2009 é dirigida  ao QREN. Outro facto fundamento para me inabilitarem ontem.

 

Basicamente só faço disparates, ando mal com a minha consciência, e nem sei exactamente porquê. Tenho medo de amar e arranjo todas as boas, porque racionais, desculpas para me livrar disso. Quero muitas coisas que verdadeiramente não quero. O medo prende-me os movimentos. Não sei viver em baixo nível de ansiedade. Eu sou infernal. Só um amor imenso me domina a espaços. Tenho-o. Recebo-o. Não estou contente. Não faço cenas de ciúmes. Mas tenho ciúmes das coisas mais insuspeitas. Sou uma caprichosa, afinal.  Eu amo e não sei do que isso se trata. Sou pessimista. Tenho medo que aquele amor imenso não seja verdade. Sou colérica. Não choro e faço chorar. Não choro mas fico abismada dentro dos abismos de silêncio que eu própria crio numa forma que só eu sei criar. Verdadeiramente , não preciso de ninguém. Verdadeiramente, se as pessoas tivessem o instinto de sobrevivência no sitio não precisariam de mim. O que eu quero é que me deixem em paz. Mas se me deixarem, sofro miseravelmente. Porque, na verdade, amo e não sei fazê-lo sempre.

 

Portanto, a minha terceira e última manifestação vai para a paz. A paz é um assunto tão enquadrável numa mensagem de Ano Novo clássica, que vale uma acção de inabilitação transitada em julgado.

 

Para terminar, quero celebrar a expectativa do novo ano especialmente com a minha amiga Ana (Miss Lee). Ainda que à distância. Só porque sei que se trata da única pessoa no mundo que é capaz de saber o sentido e o alcance exactos do que acabo de dizer. Só porque sei que é a amiga que eu mais prezo de entre todos os amigos que tenho. Viva 2009 para nós, querida.

 

stats

What I Am

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub