CAFÉ EXPRESSO

Julho 19 2018

 

Resultado de imagem para conflitos entre lésbicas e trans women em londres

 

Falava-se no outro dia sobre lésbicas ativistas e trans women ativistas. Ao que consta, aconteceu recentemente um grave conflito em Londres. Parece que se odeiam. Não tinha ideia. 

 

Pediram-me opinião. Disse que as trans woman são mulheres. Pois se eram homens e mudaram de sexo... Assim, às primeiras impressões, não percebia a razão do conflito.

 

Não obstante, pensando agora um bocadinho mais sobre o assunto, ocorre-me que as trans women que gostem de mulheres são lésbicas, pelo que se enquadram em qualquer movimento de afirmação pelos direitos das mulheres homossexuais, não subsistindo, deste modo, razão para zangas no seio das ativistas.

 

Já as trans women que gostam de homens são mulheres heterossexuais. Ora, será eventualmente aqui que bate o ponto da discórdia. Porque, afinal, no âmbito das manifestações de luta pelos direitos dos homossexuais onde aparecem, o que defendem elas? Analisada a questão de um ponto de vista puramente lógico, diremos que não sabemos muito bem, embora nos pareça que não é a causa lésbica.

 

publicado por Cat2007 às 14:20
Tags:

Começo por dizer que é um assunto onde caminho em receio porque não sei do que estou a falar. Aventuro-me porque não sei do que estou a falar mas aventuro-me porque surge essa situação do Pride London. Não creio que tenha sido grave mas foi conflituosa no meio de uma multidão.


A análise que fazes tem toda a pertinência. Então agora que são mulheres e se forem heterossexuais, porque lutam elas? É uma equação mais que legítima mesmo que nas marchas lgbtiq se inclua qualquer luta identitária por direitos. É legítima e adorava vê-la respondida sem a formatação ativista do costume que se limita muito a assinalar preconceito e fobia. Não vai muito além disso. Suspeito que este conflito (dentro da lgbt) vai denunciar o bloqueio ativista. Não avança além dos alertas de preconceito.




Ainda não consigo relatar o conflito. É preciso tempo para ver de factos e poder relacioná-los mas notei algumas coisas que até poderiam servir para fazeres uma sequela deste post que faz uma Equação pertinente.


Nesta Pride London, terão sido elementos de entre as lésbicas (mulheres by the way) que barraram a passagem das trans women. O problema, a meu ver, começa na forma como se noticia isto "lésbicas estão contra as trans women". isto está errado por trunca um contexto. Para já percebi que estão umas contra outras (tem 2 sentidos a embirração) e que isso não é representativo das Lésbicas ou das Trans-Women que são uma Diversidade de gente. São elementos num conflito. Conflito que virá de trás e começa com uma provocação das trans women do tipo "we are the real lesbians" ou "we are the real women". É uma abordagem agressiva e territorial (alguns elementos). Vi também testemunhos de mulheres (que se apresentam como feministas) que relatam uma #rapeculture a partir de alguns casos de trans women (transformação de boy para girl)que teriam violado mulheres. Reparei na reação de uma trans women que dizia "como é possível fazer uma acusação dessas por causa de alguns casos?") Ao que a feminista respondia "alguns? é o suficiente. bastaria 1).


Continuo sem me sentir segura disto mas o que sinto é que poder ser mulher desde há 10 minutos deve dar uma euforia e uma vontade de conquistar território como (nova) mulher. Naturalmente, as mulheres dizem que as trans women nunca serão mulheres que cresceram na Condição de Mulher. Haverá um conflito mas é preciso procurar e perceber. 
A primeira queixa surge numa manifestação de Dikes em São Francisco. As trans-women entraram por ali adentro a dominar. E depois há outro movimento paralelo mas que vai ao encontro de tudo isto: as lésbicas (mulheres by the way) sempre lutaram e lidaram com a invisibilidade na "comunidade" LGBT apesar de serem a primeira letra da sigla. Do tipo: atão, primeiro são os homens gay que nos okupam o espaço e agora são as trans-women?". De forma que há um conjunto de lésbicas que são as L-Out com o objetivo de sair da sigla e lutarem apenas como grupo só de lésbicas. 


Podíamos ficar atentas para fazer uma sequela deste post e voltavas a inserir a mesma pergunta mas agora com mais dados para refletir. Gostei do post. É isto, nesta matéria disparam-se Perguntas.
Catarina a 19 de Julho de 2018 às 16:10

Gostei imenso do comentário. Muito obrigada.
Anónimo a 19 de Julho de 2018 às 16:23

serve para ter serventia. eu vou buscando factos e tu mandarias pergunta em post. eu do que gostava era de solidificar o meu pensamento sobre isto. porque não sei muito bem o que pensar...penso que estou sempre a vigiar-me com pavor do preconceito.
Catarina a 19 de Julho de 2018 às 16:27

Também não tenho muitas certezas sobre o assunto, acrescento. 
Cat2007 a 19 de Julho de 2018 às 16:35

Com mais dados farei com certeza uma sequela deste post. Com todo o gosto
Cat2007 a 19 de Julho de 2018 às 16:33

"A minha frase favorita é a minha quando me sai bem"
pesquisar
 
stats
What I Am
comentários recentes
"...alguém que queria obter uma vantagem indevida....
"O que não quero é afastar-me de mim."... e é este...
e de mim?
Concordo com o que diz. Mas note, o que eu digo é ...
Discordo do seu ponto de vista. Há retorno, em mui...
Tenho vindo a alterar o meu entendimento sobre fir...
Posts mais comentados
140 comentários
122 comentários
122 comentários
106 comentários
82 comentários
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
21

22
23
24
25
28

29


blogs SAPO